Publicado por: . | 19 setembro, 2018

Onde começa a missão do espírita ?

Onde devemos começar a praticar o ensino espirita?

Em todos os lugares, poderíamos responder.

Ouçamos as ponderações do Espírito Scheilla quanto ao assunto, pois na verdade há um lugar em que tudo se inicia.

***

Organizemos o nosso agrupamento doméstico do Evangelho.

O Lar é o coração do
organismo social.
Em casa, começa nossa missão no mundo. 
Entre as paredes do templo familiar, preparamo-nos para a vida com todos.
Seremos, lá fora, no grande campo da experiência pública, o prosseguimento daquilo que já
somos na intimidade de nós mesmos.
Fujamos à frustração espiritual e busquemos no relicário doméstico o sublime cultivo dos
nossos ideais com Jesus.

O Evangelho foi iniciado na Manjedoura e demorou-se na casa humilde e operosa de Nazaré, antes de espraiar-se pelo mundo.
Sustentemos em casa a chama de nossa esperança, estudando a Revelação Divina, praticando a fraternidade e crescendo em amor e sabedoria, porque, segundo a promessa do Evangelho Redentor, “onde estiverem dois ou três corações em Seu Nome”, aí estará Jesus, amparando-nos para a ascensão à Luz Celestial, hoje, amanhã e sempre.

Scheilla. Livro: Luz no Lar. Francisco Cândido Xavier

 

Publicado por: . | 18 setembro, 2018

A Súplica Final

 A  SÚPLICA  FINALCompaixão-x-empatia-site-830x450

Convencido de que o Mestre distribui as graças, de acordo com as solicitações dos discípulos, o crente fervoroso e sincero, vivamente interessado na perfeita integração com o Senhor, pediu-lhe dinheiro, alegando a necessidade de recursos materiais para atender-lhe aos desígnios.

 

Ouvindo-lhe a rogativa, o Salvador mobilizou emissários para satisfazê-lo.

 

Em breve, a fortuna vinha ao encontro do aprendiz, enchendo-lhe os cofres e prestigiando-lhe a casa.

 

Multiplicaram-se-lhe, porém, as preocupações e surgiram desgostos graves. Longe de elevar-se à espiritualidade superior, passava dias e noites vigiando a entrada e a saída do ouro, assinalando os depósitos crescentes. Leia Mais…

ESTUDAR  PERMANENTE A DOUTRINA ESPÍRITA – COMPROMISSO DE TODO ESPÍRITA

           

Felipe Estabile Moraes [estabile@uol.com.br]

A Doutrina Espírita nos convida a um estudo permanente para que, desta forma, edifiquemos  “nossa casa sobre a rocha”.  

 

A metodologia de trabalho de Allan Kardec, no início do Espiritismo,  nos inspira para o esforço permanente de pesquisa e observação. Diante dos fenômenos mediúnicos, descortinou grandiosos conhecimentos e se propôs a estudá-los com seriedade.

O Codificador nos orienta,  no item VIII da “Introdução” “O Livro dos Espíritos”:

“Acrescentemos que o estudo de uma doutrina, qual a Doutrina Espírita, que nos lança de súbito numa ordem de coisas tão nova quão grande, só pode ser feito com utilidade por homens sérios, perseverantes, livres de prevenções e animados de firme e sincera vontade de chegar a um resultado.  O que caracteriza um estudo sério é a continuidade que se lhe dá. “  (grifo nosso)

Precisamos ser perseverantes no estudo contínuo do Espiritismo.

O Espírito Emmanuel amplia essa diretriz do estudo, quando no Capítulo “Expliquemos” do livro “Seara dos Médiuns”, destaca:

“Recorda que, em Doutrina Espírita, é preciso estudar e aprender, entender e explicar.”

Não basta o estudar por estudar. Precisamos aprender os princípios doutrinários, para colocarmos em prática esses ensinamentos. Entender e explicar, para que divulguemos esses princípios, seja na exposição, na escrita, nas atividades na casa espírita. E, principalmente, na nossa forma de agir em sociedade.

É interessante, ainda, retomar  o texto comentado por  Emmanuel no citado capítulo. Trata-se orientação dos Espíritos s registrada em “O Livro dos médiuns”, capítulo ”Das Contradições e das Mistificações”:

301 Eis as respostas que os Espíritos deram a perguntas feitas acerca das contradições:

4º — As contradições, mesmo aparentes, podem lançar dúvidas no Espírito de algumas pessoas. Que meio de verificação se pode ter, para conhecer a verdade?

        Para se discernir do erro a verdade, preciso se faz que as respostas sejam aprofundadas e meditadas longa e seriamente. É um estudo completo a fazer-se. Para isso, é necessário tempo, como para estudar todas as coisas.

        Estudai, comparai, aprofundai. Incessantemente vos dizemos que o conhecimento da verdade só a esse preço se obtém.  Como quereríeis chegar à verdade, quando tudo interpretais segundo as vossas ideias acanhadas, que, no entanto, tomais por grandes ideias? Longe, porém, não está o dia em que o ensino dos Espíritos será por toda parte uniforme, assim nas minúcias, como nos pontos principais. A missão deles é destruir o erro, mas isso não se pode efetuar senão gradativamente.”  (grifos nossos)

Novamente, o estudo aprofundado e permanente, sério, é que nos propicia a necessária segurança para fortalecermos nossa crença nos postulados Espíritas. Para que o ensino se propague. É o convite permanente dos Espíritos Superiores para que aprofundemos o nosso conhecimento da realidade espiritual, aplicando-o, desde já, na nossa viagem pelo campo das formas, ampliando para nossa trajetória evolutiva como Espíritos Imortais.

A busca permanente pelo conhecimento é algo que deve estar em nossas mentes e em nossas corações. Entretanto, não basta a informação. Esta deve ser  transformada em conhecimento. É preciso, ainda mais:  trazer ao nosso coração para colocarmos em prática.

Recorremos novamente a Allan Kardec que no Capítulo “Do Método” de “O Livro dos Médiuns”, nos orienta:

“18  (…) Dissemos que o Espiritismo é toda uma ciência, toda uma filosofia. Quem, pois, seriamente queira conhecê-lo deve, como primeira condição, dispor-se a um estudo sério e persuadir-se de que ele não pode, como nenhuma outra ciência, ser aprendido a brincar.  O Espiritismo, também já o dissemos, entende com todas as questões que interessam a Humanidade; tem imenso campo, e o que principalmente convém é encará-lo pelas suas consequências.”  (grifos nossos)

A Doutrina Espírita abrange enorme gama de conhecimentos e que são necessários à nossa vivência tanto na matéria quanto no Plano Espiritual.

Temos que estudá-la de forma séria, no sentido de que o seja de maneira contínua. E temos que observar quais as consequências esses ensinamentos trazem para a nossa vida. Importante é aliar o conhecimento com a prática, a vivência cotidiana dos ensinamentos da Doutrina Espírita, do Consolador Prometido.

O Espiritismo fará sentido para nós, se realmente vivenciarmos os seus princípios. Ao nos auxiliar a entender o Evangelho de Jesus, nos descortina a valiosa oportunidade de crescermos espiritualmente, atingindo os objetivos que traçamos para nossas vidas como Espíritos Imortais.

O roteiro apresentado por Alcíone, descrito no capítulo   “Testemunhos de Fé” do livro  “Renúncia”, é fundamental para a verdadeira compreensão do Evangelho e, por consequência, do Espiritismo:

“ Chegamos à conclusão de que o Evangelho, em sua expressão total, é um vasto caminho ascensional, cujo fim não poderemos atingir, legitimamente, sem conhecimento e aplicação de todos os detalhes. Muitos estudiosos presumem haver alcançado o termo da lição do Mestre, com uma simples leitura vagamente raciocinada. Isso, contudo, é erro grave. A mensagem do Cristo precisa ser conhecida, meditada, sentida e vivida.”  (grifos nossos)

A simples leitura  é insuficiente. O estudo sem seriedade também.

Por tudo isso vale considerar com muito carinho e discernimento, para o conhecimento do Consolador Prometido, as palavras e orientações dos Espíritos Superiores.

É preciso:

Estudar

Comparar

Aprofundar

Aprender

Entender

Explicar

Conhecer

Meditar

Sentir

Viver

 

 

 

Publicado por: . | 16 setembro, 2018

Ouvirás Decerto – psicografia de Chico Xavier

Publicado por: . | 15 setembro, 2018

O Mensageiro do Amor

O mensageiro do amorquando-amor-acontece

Falava-se na reunião, com respeito à preponderância dos sábios na Terra, quando Jesus tomou a palavra e contou, sereno e simples:

— Há muitos anos, quando o mundo perigava em calamitosa crise de ignorância e perversidade, o Poderoso pai enviou-lhe um mensageiro da ciência, com a missão de entregar-lhe gloriosa mensagem de vida eterna. Tomando forma, nos círculos da carne, o esclarecido obreiro fez-se professor e, sumamente interessado em letras, apaixonou-se exclusivamente pelas obras da inteligência, afastando-se, enojado, da multidão inconsciente e declarando que vivia numa vanguarda luminosa, inacessível à compreensão das pessoas comuns. Observando-o incapaz de atender aos compromissos assumidos, o Senhor Compassivo providenciou a viagem de outro portador da ciência que, decorrido algum tempo, se transformou em médico admirado. O novo arauto da Providência refugiou-se numa sala de ervas e beberagens, interessando-se tão somente pelo contacto com enfermos importantes, habilitados à concessão de grandes Leia Mais…

Publicado por: . | 14 setembro, 2018

O Guia Real

O Guia RealSEARA

Reunião pública de 25/5/59
Questão nº 625

Na procura de orientação para a conquista da felicidade suprema, com base na alegria santificante, lembra-te de que não podes encontrar a diretriz integral entre aqueles que te comungam a experiência terrestre.

Nem na tribuna dos grandes filósofos.

Nem no suor dos pioneiros da evolução.

Nem na retorta dos cientistas eméritos.

Nem no trabalho dos pesquisadores ilustres.

Nem na cátedra dos professores distintos.

Nem na veste dos sacerdotes abnegados.

Nem no bastão dos pastores experientes.

Nem no apelo dos porta-vozes de Leia Mais…

Publicado por: . | 14 setembro, 2018

Caminho, Verdade e Vida – Palestra com Carlos A Braga

Realizada no Grupo da Fraternidade Espírita Irmã Scheilla, em  13/09/2018

Carlos Alberto Braga Costa

Publicado por: . | 13 setembro, 2018

Política Divina

Política Divinabibl

“Eu, porém, entre vós, sou como aquele que serve.” – Jesus. (Lucas, 22:27.)

O discípulo sincero do Evangelho não necessita respirar o clima da política administrativa do mundo para cumprir o ministério que lhe é cometido.

O Governador da Terra, entre nós, para atender aos objetivos da política do amor, representou, antes de tudo, os interesses de Deus junto do coração humano, sem necessidade de portarias e decretos, respeitáveis embora.

Administrou servindo, elevou os demais, humilhando a si mesmo.

Não vestiu o traje do sacerdote, nem a toga do magistrado. Leia Mais…

Publicado por: . | 12 setembro, 2018

Bom Combate

Bom Combate

Reunião Pública de 20-1-61 1ª parte, cap. V, item 6

 

 

Voltando à Pátria Espiritual, depois da morte, estamos freqüentemente na condição daquele filho pródigo da parábola, de retorno à casa paterna para a bênção do amor.

 

Emoção do reencontro. Alegria redescoberta.blog-texto-18-O-único-retrato-de-Emmanuel

Entretanto, em plena festa de luz, quase sempre desempenhamos o papel do conviva do cérebro deslumbrado, trazendo espinhos no coração.

 

Por fora, é o carinho que nos reúne.

 

Por dentro, é o remorso que nos fustiga. Vanguarda que fulgura.

Retaguarda que obscurece. Êxtase e dor. Leia Mais…

Publicado por: . | 11 setembro, 2018

Um Só Problema

Um Só Problemacerebro-capaz-construir-musculos-pensamento

Quando a ilusão nos colhe o espírito, impelindo-nos para amargosos desenganos, evidentemente não nos é lícito lançar a responsabilidade integral do fracasso de nossa expectativa sobre os outros, já que, no fundo, somos nós mesmos que nos deixamos embair pela nossa própria super-estimação acerca de criaturas e circunstâncias.

* *

Se a tentação nos apanha desprevenido, sacudindo-nos em rajadas de aflição, depois de atirar-nos a despenhadeiros de remorso, não nos será possível atribuir a outrem a culpa dos pesares que nos desajustam as províncias da alma e sim a nós, que não vigiamos suficientemente a tranqüilidade de consciência.  Leia Mais…

Publicado por: . | 10 setembro, 2018

As pedras do Caminho – Mensagem do Espírito Emmanuel

As Pedras do Caminho

Meu prezado irmão,
Que a paz de Jesus derrame sobre o seu coração as suas bênçãos divinas.
***
Em nossa tarefa de consolação e de amor, não nos detenhamos na contemplação das
pedras do caminho. 
Se a análise é um serviço sagrado com os que tenham olhos de ver e oração para sentir,
o atrito de opiniões nos bastidores das idéias religiosas, sem que hajam nos espíritos, a mesma capacidade de visão espiritual e o mesmo sentimento de fraternidade e de amor
nos corações, torna-se pedra que pode paralisar, indefinidamente, a nova marcha para Deus.
***
Com respeito às teses do Consolador, que consubstanciam a Terceira Revelação, em face da igreja romana, mais que nós, acima de quaisquer polêmicas ou comentários, falam as misérias e as ruínas da suposta consciência cristã nesta hora amarga do mundo,
fruto das cogitações políticas do Papado.
***
Não nos cabe discutir qualquer ponto de vista particular, em matéria religiosa. Cada qual deve guardar a sua concepção de conformidade com a sua “zona lúcida”.
E são poucos os que a preferem conservar na zona de seus imperativos de ordem econômica, no complexo das atividades sociais.
***
O nosso esforço é o da cristianização, dentro da certeza de que todas as ilusões cairão por si mesmas, sem que o Senhor para destruir os falsos ídolos necessite mobilizar os processos agressivos do mundo.
***
Em nossos labores doutrinários, não nos impressionamos com os longos discursos e com os amontoados de palavras. Aos subterfúgios e à intoxicação intelectual, respondamos com a nossa tarefa de educação e de nosso trabalho, como quem sabe que cada um deve responder por suas próprias obras.
São elas que salvam ou condenam os homens, longe das escolas religiosas a que se hajam filiado nas inquietações terrestres.
E quanto ao mais, lembremos que o Mestre Divino recomendou o crescimento simultâneo do joio e do trigo, na sua semeadura bendita.
Suas mãos misericordiosas saberão guardar os frutos da verdade na ocasião da ceifa.
***
Oremos pelos nossos irmãos que não nos compreendem e não perturbemos a nossa marcha para Deus, cultivando qualquer cristalização do caminho.
Espírito Emmanuel. F. Xavier. Esperança e luz – CEU.

Publicado por: . | 9 setembro, 2018

O Maior Servidor

O Maior Servidorfé

Presente à reunião familiar, Filipe, em dado instante, perguntou ao Divino Mestre:

— Senhor, qual é o maior servidor do Pai entre os homens na Terra?

Jesus refletiu alguns minutos e contou:

— Grande multidão se congregava em extenso campo, quando aí estacionou famoso guerreiro carregado de espadas e medalhas, que passou a dar lições de tática militar, concitando os circunstantes ao aprendizado da defesa. O povo começou a fazer exercícios laboriosos, dando saltos e entregando-se a perigosas corridas, sem proveito real; todavia, continuou como dantes, sem rumo e sem júbilo, perdendo muitos jovens nas atividades preparatórias de guerra provável. Logo depois, apareceu na mesma região um grande político, com pesada bagagem de códigos, e dividiu a massa em vários partidos, declarando-se os moços contra os velhos, os lares pobres contra os ricos, os servos contra os mordomos, e, não obstante a sementeira de benefícios materiais, introduzidos na zona pela competição dos grupos entre si, o político seguiu adiante, deixando escuros espinheiros de ódio, desengano e discórdia entre os seus colaboradores. Depois dele, surgiu um filósofo, Leia Mais…

Publicado por: . | 8 setembro, 2018

Textos Sagrados

INTERPRETAÇÃO DOS TEXTOS  SAGRADOS

 

“Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.”

(I PEDRO, 1: 20)

jesus_thumbJesus é o Caminho, a Verdade e a Vida. Sua luz imperecível brilha sobre os milênios terrestres, como o Verbo do princípio, penetrando o mundo, há quase vinte séculos.

Lutas sanguinárias, guerras de extermínio, calamidades sociais não lhe modificaram um til nas palavras que se atualizam, cada vez mais, com a evolução multiforme da Terra. Tempestades de sangue e lágrimas nada mais fizeram que avivar­lhes a grandeza. Entretanto, sempre tardios no aproveitamento das oportunidades preciosas, muitas vezes, no curso das existências renovadas, temos desprezado o Caminho, indiferentes ante os patrimônios da Verdade e da Vida.

O Senhor, contudo, nunca nos deixou desamparados.

Cada dia, reforma os títulos de tolerância para com as nossas dívidas; todavia, é de nosso próprio interesse levantar o padrão da vontade, estabelecer disciplinas para uso pessoal e reeducar a nós mesmos, ao contacto do Mestre Divino. Ele é o Amigo Generoso, mas tantas vezes lhe olvidamos o conselho que somos suscetíveis de atingir obscuras zonas de adiamento indefinível de nossa iluminação interior para a vida eterna.

No propósito de valorizar o ensejo de serviço, organizamos este humilde trabalho interpretativo, sem qualquer pretensão a exegese. Concatenamos apenas modesto conjunto de páginas soltas destinadas a meditações comuns.

Muitos amigos estranhar­nos­ão talvez a atitude, isolando versículos e conferindo­lhes cor independente do capítulo evangélico a que pertencem. Em certas passagens, extraímos daí somente frases pequeninas,  proporcionando­lhes fisionomia especial e, em determinadas circunstâncias, as nossas considerações desvaliosas parecem contrariar as disposições do capítulo em que se inspiram.

Assim procedemos, porém, ponderando que, num colar de pérolas, cada  qual tem valor específico e que, no imenso conjunto de ensinamentos da Boa Nova, cada conceito do Cristo ou de seus colaboradores diretos adapta­se a determinada situação  do  Espírito,  nas  estradas  da  vida.  A  lição  do  Mestre,  além  disso, não constitui tão somente um impositivo para os misteres da adoração. O Evangelho não se reduz a breviário para o genuflexório. É roteiro imprescindível para a legislação e administração, para o serviço e para a obediência. O Cristo não estabelece linhas divisórias entre o templo e a oficina. Toda a Terra é seu altar de oração e seu campo de trabalho, ao mesmo tempo. Por louvá­lo nas igrejas e menoscabá­lo nas ruas é  que temos naufragado mil vezes, por nossa própria culpa. Todos os  lugares,  portanto, podem ser consagrados ao serviço divino.

Muitos discípulos, nas várias escolas cristãs, entregaram­se a perquirições teológicas, transformando os ensinos do Senhor em relíquia morta dos altares de pedra; no entanto, espera o Cristo venhamos todos a converter­lhe o evangelho de Amor e Sabedoria em companheiro da prece, em livro escolar  no aprendizado de cada dia, em fonte inspiradora de nossas mais humildes ações no trabalho comum e em código de boas maneiras no intercâmbio fraternal.

Embora esclareça nossos singelos objetivos, noto, antecipadamente, ampla perplexidade nesse ou naquele grupo de crentes.

Que fazer? Temos imensas distâncias a vencer no Caminho, para adquirir a Verdade e a Vida na significação integral.

Compreendemos o respeito devido ao Cristo, mas, pela própria exemplificação do Mestre, sabemos que o labor do aprendiz fiel constitui­se de adoração e trabalho, de oração e esforço próprio.

Quanto ao mais, consola­nos reconhecer que os Textos Sagrados são dádivas do Pai a todos os seus filhos e, por isso mesmo, aqui nos reportamos às palavras sábias de Simão Pedro: “ Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. ”

 

Emmanuel – Pedro Leopoldo, 2 de setembro de 1948.

(Caminho Verdade e Vida – Psicografia: Francisco Cândido Xavier – Pelo Espírito: Emmanuel)

Publicado por: . | 8 setembro, 2018

Liberdade em Cristo – psicografia de Chico Xavier

Publicado por: . | 6 setembro, 2018

COLHEITA

Colheita

Se consegues guardar o coraçãoSEARA

Sem queixumes em vão,

Além das nuvens densas,

Feitas em vibrações de sarcasmos e ofensas, Sem que a força da fé se te degrade,

Quando rugem, lembrando tempestade…

Se olhas pare o mal que te rodeia,

Respeitando, em silêncio, a luta alheia, Leia Mais…

Older Posts »

Categorias