Publicado por: . | 12 março, 2014

Reencarnação: Quinto Varro e São Pedro de Alcântara

O espírito de renúncia, despojamento e mortificação de São Pedro de Alcântara estão claros em alguns fatos de sua vida repleta de perfeição.
Pedro Garavito nasceu em 1499, em Alcântara, na Estremadura, fronteira com Portugal. Recebeu de seus pais uma esmerada formação moral e intelectual. Após a morte do pai, foi enviado pelo padrasto, Dom Afonso de Barrantes, com quem sua mãe se casara em segundas núpcias, à Universidade de Salamanca, onde cursou filosofia e iniciou-se no estudo do direito.
Na Universidade logo se tornou conhecido por sua inteligência invulgar, sua grande dedicação aos estudos e sua extraordinária memória que lhe permitiu dominar toda a Bíblia. Foram entretanto suas virtudes cristãs, sobretudo sua extrema sensibilidade e ternura para com os sofrimentos do próximo, que mais encantaram seus superiores e colegas.
No exercício de seus deveres religiosos, logo conquistou a admiração e o respeito de seus irmãos de hábito, quer por seus exemplos de oração e penitência, quer por seus santos ensinamentos, mas sobretudo pela prudência com que procurava guiá-los.
Acostumado ao recolhimento e à mais completa austeridade, tinha dificuldades em suportar as honrarias que lhe eram tributadas, já que preferia viver desconhecido, dedicando-se à oração, à penitência e à contemplação.
Ao contrário do que possa parecer, o fato de São Pedro entregar-se à contemplação, à penitência, ao recolhimento e à oração, não o levaram a descuidar-se de seu apostolado. Neste sentido, realizou um trabalho missionário extraordinariamente eficaz, pois como vivia para Deus, o contato com o mundo não lhe fazia o menor dano.
Pregava as verdades fundamentais de uma forma sensível e evangélica, visando sempre a algo de imediato e prático. Passava horas incontáveis no confessionário, confortando e orientando a todos, com tal dedicação, que não foram poucos os que, por seu intermédio, acharam a paz da alma e se conservaram na graça de Deus.
Em 1562, São Pedro de Alcântara adoeceu gravemente. Em seu leito de morte, em meio aos maiores padecimentos, ainda encontrou forças para confortar seus seguidores e dar-lhes conselhos sobre como conduzir a reforma que iniciara, de modo a consolidá-la. Por fim, às doze horas do dia 18 de outubro daquele ano, aos 63 anos de idade e 47 de vida religiosa, pedroimagesentregou a alma ao Criador, sendo sepultado na Igreja do convento de Arenas.
(excertos do site: http://www.ihp.org.br/docs/jfan19991027.htm)

No livro “Chico, Diálogos e Recordações…” somos confrontados com uma reencarnação anterior de São Pedro de Alcântara: Quinto Varro, do livro “Ave! Cristo”, que viveu por volta do século terceiro da era cristã. Quinto Varro era homem de grandes virtudes e cristão convicto, que procura reconduzir seu filho, Taciano (reencarnado, posteriormente, como Arnaldo Rocha) ao caminho do Amor do Cristo de Deus. Taciano, entretanto, era avesso ao cristianismo nascente.

Este exemplo nos conduz à orientação doutrinária segura e precisa com respeito às aquisições do Espírito na esteira do tempo e das reencarnações.

Sugerimos a todos a leitura do livro “Ave! Cristo”, a fim de conhecerem melhor a personalidade de Quinto Varro e confrontarem-na com a personalidade de Pedro de Alcântara, bem como do livro “Chico, Diálogos e Recordações…” à página 90 da 1ª edição.

Paz a todos!


Responses

  1. Olá, caro irmão de caminhada!
    Eu tenho uma pequena dúvida, que beira o ridículo, mas infelizmente eu não consigo ainda conter essas minhas pequenas curiosidades pertinentes a certos assuntos.
    Em um dos seus tópicos aqui, o senhor diz Pedro de Alcântara ter sido Quinto Varro, porém, eu já em diversos sites, até mesmo de sites de certos centros espíritas, e também há livros falando algo um pouco diferente, digo: muitos falam que Zaqueu, Matias, Quinto Varro, Quinto Celso e Parmênio foram supostas reencarnações do nosso querido Bezerra de Menezes, eu gostaria que o senhor apenas me respondesse de onde provém a sua informação, só a título de esclarecimento para a minha curiosidade “fútil”.
    Obrigado pela a atenção!

  2. Olá! Agradecemos o carinho e dizemos que nada é por acaso, toda e qualquer dúvida é bem vinda!!
    As informações que procuramos passar neste blog, dizem respeito ao livro “Chico, Diálogos e Recordações”, cujas informações são provenientes de uma série de entrevistas ao querido irmão Arnaldo Rocha, que conta um pouco da trajetória do grupo espírita ao qual nosso querido Chico Xavier pertencia. Longe de nos sentirmos corretos, procuramos retratar um pouco do que aprendemos com a leitura da rica experiência que o grupo viveu nos anos de trabalho e dedicação à doutrina. Esperamos tê-lo auxiliado em sua dúvida e agradecemos o interesse pelos estudos doutrinários!!!
    Que Deus nos abençoe e ampare em nossa jornada redentora!!!! Muita Paz!

    • Há um erro grotesco neste livro. O padre manoel da nobrega viveu na mesma época de pedro de Alcântara. Arnaldo rocha diz que pedro de Alcântara fora emmanuel e o chico afirma claramente no pinga fogo que emmanuel foi o padre manoel da nobrega, companheiro de anchieta, fundadores da cidade de São Paulo.

  3. Apesar da bela resposta sobre o assunto Quinto Varro, reafirmamos que as fontes estão equivocadas. Aconteceu uma divulgação precipitada na época. Nosso querido Bezerra estava realmente no romance, tendo sido o cristão Apio Corvino. Tecendo uma linha mental percebe-se claramente que há muito mais lógica nas afirmativas de Arnaldo Rocha, que estava junto ao Chico na época da psicografia do belo romance de Emmanuel, do que a divulgada pelas fontes citadas pelo irmão. Afirmamos com carinho de pesquisadores junto ao amigo Arnaldo. Quinto Varro é o mentor espiritual de Taciano (Arnaldo Rocha). Vou abreviar uma bela História: Arnaldo falou para Chico: – Seria muito interessante o Emmanuel ditar um romance que retratasse o mundo espiritual. Chico então lhe diz: Nosso Benfeitor encontra-se presente e manda lhe dizer que ele vai pensar. Um mês depois o Amigo Espiritual diz para Chico que o assunto foi aprovado. Então ele dita o romance que incluía a vida de Arnaldo Rocha no mundo espiritual em condições muito complexas. Estas histórias dos bastidores esperamos em breve trazer a lume em novo livro de recordações do Amigo de Chico Xavier, que graças a Deus resolveu a contar muitas pérolas de amor ao Movimento Espírita.
    Esperamos ter respondido pelas linhas doutrinárias e evangélicas.
    Abraços do servidor menor
    Carlos Alberto Braga Costa

  4. Caro Carlos Alberto B Costa!
    Votos de PAZ!

    Agradeço pela a resposta dada por este carinhoso blog e pela sua resposta também, Realmente, revendo aqui o livro Ave Cristo! de acordo com o que você explanou, faz muito mais sentido mesmo que o nosso querido Bezerra tenha sido o abenegado cristão Ápio Corvino!

    Grato!

  5. Caro amigo, sei que o assunto trazido não está dentro do discutido, mas preciso muito de uma orientação. Há alguma bibliografia espírita que fale sobre o espírito que moveu Diana de Poitiers (francesa do século XVI, contemporânea de Catariana de Médices)???? Obrigada!

    • Diana de Poitier (ou Diane de Poitier)

      Prezada consulente,
      Tenho 80 anos de idade, 65 deles voltados à causa espiritista.
      A sua pergunta me chamou a atenção, pois, em nossa casa espírita, situada em Caratinga/MG, há anos observamos certos fatos que ligam espíritos que tomaram a veste carnal na velha França do século XVI e que, dobrado os séculos, reencarnaram no Brasil.
      Já leste o livro espírita “Ecos de São Bartolomeu”? É uma leitura muito esclarecedora.
      No século XVI francês, aconteceram guerras religiosas entre católicos e protestantes, com trágicas consequências tanto no campo material como no espiritual.
      Grande parte dos espíritos envolvidos reencarnaram no Brasil, especialmente em solos mineiros.
      Chico Xavier já dizia: “há muitos franceses no movimento espírita mineiro”
      Diana de Poitiers (ou Diane) não participou diretamente do massacre, pois, assim como o seu Henri II, ela já havia desencarnado.
      Mas, considerando que a Noite de São Bartolomeu foi o resultado (o desfecho) de um processo anterior, iniciado na época do reinado de Henri II, ambos (Diana de Poitiers e Henri II) tiveram, portanto, participação indireta nesse massacre.
      Fomos informados, pela espiritualidade maior, que Diana e Henri encontram-se, atualmente, encarnados em Belo Horizonte, mas, outra vez, renasceram “impedidos” de estarem juntos como marido e mulher. Estão separados por compromissos assumidos, embora já tenham se reencontrado.
      Na atual reencarnação, ambos tiveram alguma ligação com o movimento espírita, mas, pelo que soubemos, ainda carregam a mesma inquietação (do século XVI) acerca dos conflitos entre fé e razão, o que os distanciaram da religião.
      O que soubemos é que, além de Diana e Henri II, grande é a leva de espíritos envolvidos nas lutas religosas do século XVI francês que reencarnou no Brasil.
      Abraços fraternais
      Pedro Valverde

    • Diane de Poitiers reencarnou no Brasil. Na cidade de Belo Horizonte. Ainda está encarnada. Essa foi a notícia que tivemos sobre os franceses do século XVI, na casa espírita que frenquentamos.
      Luiz Eustáquio
      Rio de Janeiro

      • Interessante essa informação do Confrade Luiz Eustáquio, pois bate, exatamente, com as informações que os mentores espirituais de nossa casa espírita, Associação Espírita Dom Feliciano, situada aqui em Canoas/RS, nos revelaram.
        Segundo constam nas mensagens que recebemos, Diana de Poitiers escolheu Belo Horizonte para cumprir o seu destino, juntamente como muitos irmãos franceses que, diretamente ou indiretamente, estiveram envolvidos no episódio da Noite de São Bartolomeu.
        Sandra Gasparini
        Canoas/RS

  6. Sabe Chico Xavier, nem sei como expressar o que acredito ter vindo uma luz divina ao alcance de todos para que fizessemos uma reflexao..eu fico feliz de ter enxergado isso..obrigado pai por nova oportunidade de vida

  7. Irmãos deste Blog. Tenho quase 30 anos de estudos e pesquisas sobre a Doutrina Espírita, porque formado médium na escola do Dr. RINO CURTI em SP, a gente é estimulado a estudar e trabalhar diariamente. Gosto do tema de reencarnações passadas. Sabiam que o espírito Zaqueu reencarnou tbém como SANTO ANTONIO (Antonio de Bulhões e depois Antonio de Pádua?)Fez parte do grupo dos 200 que João Evangelista organizou na espiiritualidade, antes de reencarnar-se como FRANCISCO DE ASSIS. Pelo menos é o que está revelado na obra do querido MIRAMEZ (Francisco de Assis – ed.Fonte Viva – MG 1985 – médium respeitadíssimo por nós, Sr. JOÃO NUNES MAIA.) Está no final do cap. DO ORIENTE AO INFINITO, pags. 377 a 383. E mais: a sobrinha do João Nunes Maia, Ariane de Quadros Corrêa, publicou a Biografia do tio. E no cap. sobre a descrição de alguns altos espíritos que participam da sustenção do Grupo da Pomada VOVÔ PEDRO, informa: “Se na época de Jesus Zaqueu dera metade do que tinha aos pobres, enquanto Bezerra de Menezes deu tudo o que tinha e ainda o que não tinha aos pobres, em nome do despreendimento e amor às criaturas …” (pag 99)
    Os irmãos saberiam dizer onde mais posso encontrar a informação relativa a Bezerra como Zaqueu?
    Deus os ilumine na Fé esclarecida.
    Moacyr Bagnareli
    mbagnareli@uol.com.br

  8. Agradeço a ajuda de todos.

  9. no site – http://www.espirito.org.br/portal/publicacoes/esp-ciencia/003/emmanuel.html
    constam algumas encarnações de Emmanuel – que teria sido o padre Manoel da Nobrega que viveu a mesma época que o Pedro de Alcântara.
    Qual das informaçoes é a correta?
    Publio Lentulos que foi Nestório que foi Quinto Varro que foi Quinto Celso que então reencarnou como Manoel da Nobrega ou este ultimo. Pedro de Alcantara?

    • Correto amigo. Assista pinga fogo e obtenha da fonte e segura, diretamente de chico xavier, afirmando que emmanuel fora padre manoel da Nóbrega, companheiro de anchieta e fundadores de São Paulo. Chico mudou-se para uberaba em 1959 e viveu até 2002 , período longo que Arnaldo rocha não fazia parte do convivio com chico. Aliás porquê saiu de pedro leopoldo?

  10. Afinal, chegou-se a conclusão de que Bezerra foi Quinto Varro ou não?

    • Caríssimo Pedro, Jesus conosco! Desculpe se estiver errado, mas há muito respondemos que este assunto está muito claro, no livro Chico, Diálogos e Recordações.
      Dr Bezerra foi Apio Corvino o cristão que foi assassinado no lugar de Quinto Varro. Este foi recomendado por Apio Corvino para uma comunidade cristã e por isto assumiu o nome do seu Venerando Benfeitor.
      Portanto Quinto Varro, pai de Taciano, após muitas outras encarnações, foi na Espanha Pedro de Alcantara, ícone da Igreja Católica.
      Portanto O Santo Católico, não tem relação com vidas pregressas de Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti.
      Sds fraternas
      C Alberto

  11. preciso de informações sobre as reencarnações de bezerra de menezes, onde encontro?
    caio marchetti

    • Amigo, sugerimos que leia Chico, Diálogos e Recordações.
      sds fraternas

  12. No livro o 13o apostolo, sobre Bezerra de Menezes, Jorge Damas fala que
    Para converter seu filho Taciano, reencarna-se duas vezes: uma como Quinto Varro (Irmão Corvino) e a seguir como Quinto Celso, personagens
    estes narrados no Livro “AVE CRISTO”, de Emmanuel, pela psicografia bendita de Francisco Cândido Xavier. Ele fala como se fossem a mesma pessoa. Alguem tem esse livro? AVE CRISTO? para saber qual citação é feita neste livro ? e se realmente confronta com o livro citado nesta publicação “Chico, Diálogos e Recordações.”

    Paz e Luz

    • Carísismo Lucio, Jesus sempre!
      Quando acessamos o livro citado enviamos uma carta ao Sr Jorge Damas comunicando o equívoco que ele cometeu. Na realidade o autor escreveu a tese, apoiado em informações recolhidas com alguns confrades que conviveram com Chico. Neste caso a fonte fora Cesar Bounier e Newton Boechat. Houve uma interpretação equivocada neste ponto. Há no romance Ave, Cristo! dois personagens que possuem o mesmo nome. O persangem Quinto Varro utiliza o nove do cristão Apio Corvino para apargar o seu nome, e não ser reconhecido como o cidadão romano. Quinto Varro convertido em Apio Corvino reencarna e passa a ter o nome Quito Celso para ajudar o seu filho espiritual Taciano (Arnaldo Rocha). O cristão Apio é uma das vidas de Bezerra de Menezes, enquanto Quinto Varro reencarnou, por exemplo, na Espanha e se chamava Pedro de Alcantara. O Espírito Pedro de Alcantara trouxe muitas mensagens através de Chico Xavier, algumas delas constantes nos livros Instruções Psicofonicas e Vozes do Grande Além.
      Temos conosco a carta endereçado ao escritor assinada por Arnaldo Rocha. O Sr Jorge Damas ficou de fazer esta correção, mas não sabemos se em outras edições fora realizado.
      Concluímos com a seguinte reflexão:
      Ao nos depararmos com uma informação devemos prestar a atenção na fonte, na coerência e no aspecto educativo. Como nos ensina Kardec na Revista Espírita devemos evitar usar os veículos de comunicação para criar confusão, divisão e cárcere psicológico dos neófitos em Espiritismo.
      Sds fraternas
      C Alberto

  13. Quais foram as encarnações anteriores de Quinto Varro e Taciano, anteriores ao narrado em “Ave, Cristo!”?

  14. Caro Confrade Carlos Alberto
    Ave Cristo!
    Tenho seguido de perto tuas ilucidacoes sobre a vida de Chico,Arnaldo,etc
    Com grande alegria e alivio,recebi estes esclarecimentos que ha muito me confundia,pois minha consciencia nao aceitava as publicações,de Chico ter sido Kardec,etc; nao que Chico nao merecesse, mas de acordo com a personalidade de Kardec ,nao fazia senso p/ mim, e Chico a docura em pessoa, Kardec ,mente mais analitica.
    Sigo tuas palestras,com bastante vontade de aprender.
    Com carinho

    mariza

  15. Caro Companheiro de jornada

    Como posso obter,teu livro e o do Arnaldo?
    Com carinho

    mariza

  16. Excelente a maneira como essas dúvidas são colocadas assim , tão expostas aos críticos contumazes do Espiritismo. É uma demonstração exemplar de como essa doutrina maravilhosa nada tem a esconder , mostrando , sem nada temer, tudo que foi revelado através dos fenômenos que levaram Allan Kardec a codificar e divulgar o Espiritismo, como fora prometido, há mais de 2.000 anos, pelo Mestre Celestial com o epíteto ” O Consolador Porvindouro”.

  17. Prezado confrade,
    gostaria de externar minha duvida:
    Há bem mais de 10 anos pessoalmente ouvi, no auditório da Casa de Espanha, no bairro da Gavea, na cidade do Rio de janeiro, em um seminario realizado pelo médium e orador espirita Divaldo Franco, em prol das obras assistenciais da Mansão do Caminho, que o amorável Dr Bezerra de Menezes fora as personagens Quinto Varro e Quinto Celso, constantes no livro “Ave, Cristo!”. Nesta ocasião tambem afirmou que o escravo Rufo, martirizado pelos romanos em hediondo espetáculo por não abjurar a Jesus, se reencarnara em terras brasileiras na figura de Eurípedes Barsanulfo. Sendo que tais informações serviam para exemplificar a tese do amor incondicional apresentada pelo emerito orador baiano, jamais atendendo a curiosidades fúteis, incabíveis no objetivo iluminador da palestra. O encontro terminou com a consoladora palavra do Medico dos Pobres atraves da psicofonia do médium Divaldo Franco.
    Ora, ao ler o seu livro “Chico – Dialogos e Recordações”, no qual coleciona as reminiscencias do respeitavel confrade Arnaldo Rocha, me deparei com uma informação conflitante, a de que o Dr. Bezerra não fora as personagens indicadas mas sim Apio Corvino.
    Minha duvida consiste no seguinte questionamento. Tomando por bases os princípios que nortearam Kardec na elaboração da Codificação. Multiplicidade de fontes e unicidade de conteúdos.

    Estando o Dr. Bezerra de Menezes presente aquela reuniao, seria possível que este coadunasse com um erro ao permitir que o médium prosseguisse transmitindo uma informação erronea? Sobretudo quando o tema central girava em torno da relação de amor paternal incondicional (Quinto – Taciano), evoluida ao nível de amor fraternal incondicional (Bezerra – todos nós)?
    Não sendo em nenhum momento corrigido, restando uma anuência tacita de todos os orientadores espirituais vinculados a tarefa daquele orador, que ate o presente merece nosso respeito e admiração pelo seu trabalho doutrinário e assitencial totalmente pautado na ética evangelica espirita.
    Em que pese o mesmo respeito e consideração que dedico ao confrade e ao irmao Arnaldo Rocha, gostaria de saber se as afirmações constantes no seu livro, desta e de outras encarnações referentes ao proprio Chico e a outros irmãos da seara espírita, sao secundadas por algum registro outro que nao apenas o mnemonico?

    Obrigado pela sua atenção e pela oportunidade de sanar minhas dúvidas.

    Saudações Fraternas,
    Marcus Vinícius Teixeira dos Anjos

  18. Sou Gloria Collaroy.
    Feliz por encontrar este blog e poder fazer perguntas.

    tenho o livro CHICO, DIALOGOS E RECORDACOES.
    Amo o Espirito de Tereza DÁvila e gostaria de poder saber quem foi esse Espirito, Li em algum livro que teria sido Maria de Magdala, em que livro poderia saber mais sobre ela?
    Agradeco de todo coracao por uma elucidacao.
    Meu abraco fraterno
    gloria collaroy

  19. O PROJETO BÁSICO da ANALOGIA nas ESCOLAS, de levar o conhecimento prático da Analogia para que o aluno, ou aluna, aprenda dentro da sala de aula, a provar fisicamente que existe um autor como agente matricial na causa do Universo e da Vida existir, visa preparar o jovem brasileiro e o capacite mentalmente para melhor enfrentar o momento pelo qual hoje vem sendo assediado pelas mentes que vivem em completo complexo de anomia (caos) onde buscam que a criança sem nenhuma maturidade psicológica defina o sexo, como uma opção transgênica para a eventual descaracterização sexual.
    -Brasil na vanguarda do conhecimento.
    Durante muitos milhares de anos, os povos do mundo inteiro ficaram na expectativa que a ciência pudesse encontrar um método que provasse FISICAMENTE a existência de um autor como agente matricial na criação do Universo e da Vida, popularmente conhecido como Deus!
    Neste momento Minas Gerais projeta o Brasil na vanguarda do conhecimento como a primeira Nação do Mundo, a provar Fisicamente que Deus existe, atendendo assim os anseios dos povos do mundo inteiro confirmando o que era antes uma crença religiosa, a Humanidade passa agora a ter comprovação científica da existência de um Criador.
    Passando da crença o Brasil faz que a humanidade entre na área do CONHECIMENTO, igual aconteceu em eras recuadas quando só existiam crenças usadas pelos curandeiros do passado que deram depois início ao conhecimento, e do conhecimento formaram a base científica que tem hoje a medicina.
    O Brasil como pioneiro faz que a humanidade venha dar hoje um pequeno passo para que no futuro, ao longo da jornada evolutiva do Homem, ganhe maior aprimoramento no campo do conhecimento.
    E finalmente, penso que os Espíritas saberão identificar quem é o autor do Livro, “A prova Que DEUS existe Com Base CIENTÍFICA” que deu origem que a ANALOGIA esteja sendo levada para dentro das salas de aula, para que os jovens aprendam a provar fisicamente que Deus existe, como agente matricial na causa do Universo e da vida existir.
    Editora Só Luz
    Soraya Correa

  20. Está errado as informações, pois Chico afirma no programa PINGA FOGO que padre Manoel da Nóbrega fora Emmanuel, portanto não foi São Pedro de Alcântara, pois Manoel nasceu em 1517 e Alcântara em 1499. Escrevem coisas para vender sem compromisso com a verdade e confundem as pessoas.

  21. Prezado Marcus Vinicius, tem lógica sua meditação sobre o BEZERRA estar presente no Divaldo e atestar tal erro. Porém , posteriormente Divaldo teve que admitir o erro, pois é gritante. Agora reflita novamente, será mesmo o Bezerra que comunicava ?

  22. De 1959, quando chico saiu de pedro leopoldo ao ano de 2002, Arnaldo rocha não mais conviveu com chico . Por quê ? Aliás não somente ele, mas também muitos outros que se dizem amigos íntimos. Há um erro grotesco nas informações dizendo que emmanuel foi pedro de Alcântara que viveu na mesma época que padte manoel da Nóbrega. O próprio chico no pinga foga atesta claramente que emmanuel foi padre manoel da Nóbrega, companheiro de anchieta, fundadores de São paulo. Fonte segura são os livros do chico, os outros autores misturam interesses, fantasias, deduções e informações contraditórias.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias