Publicado por: . | 16 agosto, 2018

“INDULGÊNCIA”

blog-texto-18-O-único-retrato-de-EmmanuelEmmanuel – Chico Xavier

Cada nascer do sol é nova luz para que aí nos desfaçamos da sombra que ainda nos obscurece o espírito.

 

 ****

 

E, nos círculos da evolução em que ainda te agitas, a claridade matinal é como que o convite sempre renovado para as obras do bem.

 

 ****

 

A Infinita Bondade do Céu te apagou a lembrança temporariamente, afim de que o esquecimento te valorize a movimentação da consciência sempre livre para escolher.

 

 ****

 

Cada sofrimento é uma sombra que estende no passado e que volta ao presente a fim de que a transformes em luz.

 

 ****  

 

Sem a chave da reencarnação, a vida inteira reduzir-se-ia a escuro labirinto.

 

 ****

 

De existência a existência, no mundo, nossa individualidade imperecível sofre o desgaste da imperfeição, assim como o aprendiz, de curso a curso, na escola, perde o fardo da ignorância.

 

 ****

 

Suporta as dificuldades com amor na certeza de que a morte virá um dia aclarar-ter o pensamento e devolver-te a visão.

 

 ****

 

É natural solicites socorro à Infinita Bondade, no entanto, não rogues serviço conforme a tua capacidade, mas, sim capacidade segundo o serviço que te compete.

 

 ****

 

Corações isolados na sensibilidade egoística, receando dissabores no relacionamento com o próximo, parecem cardos amargosos na terra seca.

 

 ****

Almas em sofrimento constante que sabem cultivar a fé e a esperança, ofertando a quem passa os melhores testemunhos de amor e coragem são roseiras abençoadas, produzindo flores de paz e alegria, sobre os pinheiros terrestres.

 

 ****  

 

Perdão é requisito essencial no erguimento da libertação e da paz.

 

 ****

 

Casamento, companheirismo, equipe, agrupamento e sociedade são instituições nas quais é forçoso que o verbo amar seja conjugado todos os dias.

 

 ****  

 

“Acharás o que procuras” – disse-nos o Senhor.

 

 ****

 

E, em cada instante de nossa vida, estamos recolhendo o que semeamos, dependendo da nossa sementeira de hoje a colheita melhor de amanhã.

 

 ****

 

Moléstias do corpo e impedimentos do sangue, mutilações e defeitos, inquietações e deformidades, fobias complexas e deficiências inúmeras constituem pontos de corrigenda do nosso passado que hoje nos restauram a frente do futuro.

 

 chico****

 

O invejoso, invariavelmente, ensina-nos a prudência, o despeitado nos induz ao aprimoramento próprio. O caluniador nos auxilia a marchar no caminho reto e o perseguidor gratuito nos auxilia a perseverar no bem.

 

 ****  

 

Combatemos a nós mesmos cada dia, em nome do bem que abraçamos.

 

 ****  

 

Não vale afirmar sem exemplo, nem sonhar sem trabalho.

 

 ****  

 

As dores que recebemos são a colheita dos espinhos que arremessamos.

 

 ****  

 

Agora ou amanhã, recolheremos sempre o fruto vivo de nossa sementeira.

 

 ****  

 

Quem se vinga desce aos despenhadeiros da sombra.

 

 ****  

 

Façamos luz no espírito e conseguiremos descobrir os horizontes da própria imortalidade.

 

 ****  

 

Caridade que anuncia os próprios méritos é serviço ameaçado pela vaidade.

 

 ****

 

Caridade que ampara com o objeto de mostrar-se superior é fruto isolado em espinheiros do orgulho.

 

 ****  

 

Caridade que pede remuneração é fonte poluída pelo fel da exigência.

 

 ****

 

Caridade com repetidas lamentações é caminho para o desânimo.

A caridade legítima jamais aparece concorrendo aos tributos da gratidão, nunca reclama, não se ensoberbece, não persegue, não se lastima, não odeia e nunca desencoraja a ninguém.

 

 ****  

 

Mobilizemos nossos verbalísticos na exaltação do bem, com esquecimento de todo o mal.

 

 ****  

 

A língua revela o conteúdo do coração.

 

 ****

 

Caridade que não sabe começar pela boca dificilmente se expressará com segurança, através das mãos.

Vale-te das benções do olvido temporário e dos valores potenciais de cada dia, trabalhando em favor da própria elevação, porque, mais tarde, a memória ser-te-á restaurada no santuário interno e abençoarás a dor e a luta de agora por preciosos recursos de reajuste, concórdia e sublimação.

 

 ****  

 

Nem ontem, nem amanhã, mas agora …

 

( Indulgência – Psicografia de Francisco Cândido Xavier e ditado pelo Espírito de Emmanuel


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Categorias