Publicado por: . | 3 setembro, 2018

O PONTO DIFÍCIL

O PONTO DIFÍCIL

Imperioso descobrir a beleza do sofrimento por recurso educativo, para que não nos enquistemos na ideponto difícilia da dor como sendo fonte exclusiva de expiação.

Vejamos a natureza, para que o silencioso ensinamento da vida se nos estampe no coração.

A poda da árvore sugere crueldade e flagelação, todavia, dos golpes que lhe são desferidos, surge o novo alento que lhe assegura energias novas.

A labareda que retempera a argila, em pleno forno, assemelha-se a processo de atrocidade, mas da chama, aparentemente destruidora, desponta o vaso, rico de originalidade, destinado a enriquecer os quadros da vida.

A terra, dilacerada pela charrua, afigura-se torturada e envelhecida, entretanto, do sulco aberto em que se rasga o seio nascerá para o mundo a bênção irresgatável do pão.

E o metal, conduzido ao cadinho ardente, parece experimentar insulto e aniquilamento, contudo, é no calor de alta tensão que se transformará em riqueza terrestre.

Nem sempre comodidade humana é verdadeiro conforto e raramente a bolsa farta é sinônimo de segurança e alegria.

Saibamos aceitar o obstáculo por precioso desafio à superação de nossas próprias fraquezas, porquanto, dificuldade dignamente vivenciada é sombra transitória de hoje para ser abençoada luz amanhã.

Pelo Espírito Emmanuel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier.

Livro: Tocando o Barco. Lição nº 10. Página 39.


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Categorias