Publicado por: . | 18 outubro, 2021

NA CRUZ

 GÊNESE NO LAR

Fraternidade de Estudos Allan Kardec está convidando você para acessar

TV GÊNESE

🙋⌚ 📽️ 🎙️ 📲 Hora 7:10 – 19 de Outubro 2021_Terça-feira

😘Tópico: GÊNESE NO LAR Nº444                                                                                                

  📚 📜 – TEMA: NA CRUZ

Fonte:

O Evangelho S Espiritismo  – Capítulo V- Item 18-  Allan Kardec

Fonte Viva – 46 – Emmanuel – Francisco Cândido Xavier

👉 Facilitador: Carlos Alberto Braga Costa

👁️                                                                 

👇🖥️📺📡 

INSTRUÇÃO DOS ESPÍRITOS


Bem sofrer e mal sofrer

18. Quando Jesus disse: “Bem-aventurados os aflitos, porque deles é o Reino dos Céus”, não se referia
aos sofredores em geral, porque todos os que estão neste mundo sofrem, quer estejam num trono ou na pobreza. Mas poucos sofrem bem, poucos compreendem que somente as provas bem suportadas podem conduzir ao Reino de Deus.


A falta de coragem é um erro. Deus recusa-vos consolações pela falta de coragem.

A prece é um sustentáculo da alma, mas não é suficiente. É fundamental que seja apoiada numa fé forte na bondade de Deus. Tem-vos sido dito, frequentes vezes, que Deus não coloca fardos excessivamente pesados em ombros frágeis.

O fardo das provações é sempre proporcional às forças, como a recompensa será proporcional à resignação e à coragem. A recompensa será tanto maior, quanto mais penosa tiver sido a aflição. Mas essa recompensa tem de ser merecida, e é por isso que a vida está cheia de adversidades.


O militar que não é enviado para a frente de batalha não fica satisfeito, porque o repouso no
acampamento não lhe proporciona a heroicidade vitoriosa. Sede como o militar, e não aspireis a um
repouso que enervaria o vosso corpo de impaciência e entorpeceria a vossa alma.
Ficai satisfeitos quando Deus vos envia à luta.

Essa luta não é o fogo das batalhas, mas as amarguras da vida, nas quais muitas vezes é preciso mais coragem que num combate sangrento, porque aquele que se mantém firme, frente ao inimigo, fraqueja por vezes sob a pressão do sofrimento moral.
As pessoas, na Terra não recebem prémios por esse tipo de coragem, mas Deus reserva-lhe os seus
louros e um lugar glorioso.

Quando vos atingir um motivo de dor ou de contrariedade, tentai elevar-vos, e quando conseguirdes dominar a impaciência, a cólera ou o desespero, dizei, com justa satisfação: “Fui o mais forte!”

Bem-aventurados os aflitos, pode, portanto, ser traduzido assim: bem-aventurados os que
demonstraram a sua fé, firmeza, perseverança e submissão à vontade de Deus, porque terão multiplicado por cem as alegrias que lhes faltam na Terra e depois do trabalho virá o repouso.

Espírito “Lacordaire” / Le Havre, 1863

O Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo V- Bem Aventurados os Aflitos – Item 18-  Allan Kardec

Na Cruz


“Ele salvou a muitos e a si mesmo não pôde salvar-se.”
(Mateus, 27:42)


Sim, ele redimira a muitos…
Estendera o amor e a verdade, a paz e a luz, levantara enfermos e
ressuscitara mortos.
Entretanto, para ele mesmo erguia-se
a cruz entre ladrões.
Em verdade, para quem se exaltara tanto, para quem atingira o pináculo,
sugerindo indiretamente a própria condição de Redentor e Rei, a queda era enorme…
Era o Príncipe da Paz e achava-se
vencido pela guerra dos interesses
inferiores.
Era o Salvador e não se salvava.
Era o Justo e padecia a suprema injustiça.
Jazia o Senhor flagelado e vencido.
Para o consenso humano era a extrema perda.
Caíra, todavia, na cruz.
Sangrando, mas de pé.
Supliciado, mas de braços abertos.
Relegado ao sofrimento, mas suspenso da Terra.
Rodeado de ódio e sarcasmo, mas de coração içado ao Amor.
Tombara, vilipendiado e esquecido, mas, no outro dia, transformava a
própria dor em glória divina. Pendera-lhe
a fronte, em pastada de sangue, no
madeiro, e ressurgia, à luz do sol, ao hálito de um jardim.
Convertia-se
a derrota escura em vitória resplandecente. Cobria-se
o lenho
afrontoso de claridades celestiais para a Terra inteira.
Assim também ocorre no círculo de nossas vidas.
Não tropeces no fácil triunfo ou na auréola barata dos crucificadores.
Toda vez que as circunstâncias te compelirem a modificar o roteiro da
própria vida, prefere o sacrifício de ti mesmo, transformando a tua dor em auxílio
para muitos, porque todos aqueles que recebem a cruz, em favor dos semelhantes,
descobrem o trilho da eterna ressurreição.

Fonte Viva – 46 – Emmanuel – Francisco Cândido Xavier


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Categorias

%d blogueiros gostam disto: