Publicado por: . | 8 junho, 2018

Mediunidade e dúvida

Mediunidade e dúvida

Reunião pública de 23/9/60

Questão nº 214

mediunidade

 

Quando a sombra da dúvida se interponha entre o campo de ação e a tua faculdade medianímica, contempla o necessitado que te espera o serviço.

Se fosses o companheiro sob o guante da enfermidade, qual se lâminas de fogo lhe cortassem as vísceras, agradecerias as mãos que se erguessem, generosas, no passe magnético em teu benefício.

Se fosses o Irmão que exibe a epiderme em largas feridas, como se envergasse roupa nodoada de chagas, mostrarias imensa gratidão aos dedos que te ofertassem o fluido restaurador.

Se fosses o alienado mental, de que tanta gente se afasta, tomada de inquietação, decerto acolherias por bênção do Alto a exortação que te ajudasse a superar o desequilíbrio.

Se fosses a pessoa desesperada nas últimas Leia Mais…

Publicado por: . | 7 junho, 2018

COMO  PERDOAR

Na maioria dos casos, o impositivo do perdão surge entre nós e os companheiros de nossa intimidade, quando o suco adocicado da confiança se nos azeda no coração.bigstock-177801166-1180x472

Isso acontece porque, geralmente, as mágoas mais profundas repontam entre os Espíritos vinculados uns aos outros na esteira da convivência.

Quando nossas relações adoeçam, no intercâmbio com determinados amigos que, segundo a nossa opinião pessoal, se transfiguram em nossos opositores, perguntemo-nos com sinceridade: “como perdoar, se perdoar não se resume à questão de lábios e sim a problema que afeta os mais íntimos mecanismos do sentimento?”. Leia Mais…

Publicado por: . | 7 junho, 2018

Endurecimento do coração – (81) Cartas de Paulo

Estudo Romanos 11:23  com Carlos Alberto Braga Costa em 06/06/2018

 

 

Publicado por: . | 6 junho, 2018

Enxertia Divina

“Se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar.” – Paulo. (Romanos, 11:23.)

emmanuel-chico

Toda criatura, em verdade, é uma planta espiritual, objeto de minucioso cuidado por parte do Divino Semeador.

Cada homem, qual ocorre ao vegetal, apresenta diferenciados períodos na existência.

Sementeira, germinação, adubação, desenvolvimento, utilidade, florescência, frutificação, colheita…

Nas vésperas do fruto, Leia Mais…

Muitas vezes, vivemos normalmente dez longos anos, conquistando patrimônios espirituais, para viver apenas dez minutos fugazes de modo extraordinário e excepcional.

São os clímax da vida, onde somos chamados às contas, na aferição de responsabilidades intransferíveis e que, não raro, percebemos intuitivamente, a derramar lágrimas que pressagiam amargas lutas.  

Aprendemos, dia a dia, a pouco e pouco, anos seguidos, o desprendimento de bens transitórios para enfrentarmos a prova do desapego maior em momentos breves; experimentamos, por vários lustros, a repetição, instante a instante, de um dever trivial para testarmos a própria perseverança, no epílogo desse ou daquele problema, aparentemente vulgar, mas de profunda significação em nosso destino; adquirimos forças íntimas vivendo toda uma encarnação a preparar-nos para a demonstração de coragem num minuto grave de testemunho…

Alpinistas da evolução, que destilam suor, de escarpa em escarpa, galgamos a montanha da experiência, adestrando-nos para transpor a garganta que nos escancara o abismo diante da tentação; estudantes comuns, nos currículos da existência, enceleiramos preciosos conhecimentos em cursos laboriosos de observação e trabalho, para superarmos a prova eliminatória, às vezes num só dia de sacrifício…

Estamos sempre, face à face, com a banca examinadora do mundo, pois onde formos aí seremos convocados à confissão de nossa fé e consequente valor moral.

O minuto que se esvai é a nossa oportunidade valiosa; o lugar onde estamos é o anfiteatro de nossas lições contínuas.

Por isso, caminhar sem Jesus, nos domínios humanos, é sentir que a água não dessedenta, o alimento não sacia, a melodia não eleva, a página não edifica, a flor não perfuma, a luz não aquece…

Entretanto, amparados no Cristo, todos somos auto-suficientes, porquanto dispomos de apoio, esclarecimento e fortaleza em qualquer transe aflitivo com que a vida nos surpreenda.

O alento que a certeza da fé raciocinada nos proporciona transcende todas as consolações efêmeras que possamos auferir de vantagens terrenas, de vez que nos faculta trabalhar sem fadiga, ajudar sem esforço, sofrer sem ressentimento e rir engolindo pranto.

Marchemos assim, arrimados nos padrões do Divino Mestre sem que nos creiamos no pretenso direito de reclamar ou maldizer, tumultuar ou censurar.

Desistamos de reivindicações, privilégios, prêmios ou honrarias de superfície, porquanto urge aspirarmos à medalha invisível do dever retamente cumprido que nos brilhe na consciência, à coroa da paz que nos cinja os pensamentos e a carta-branca do livre arbítrio que nos amplie o campo de ação no bem puro.

Regozija-te, pois, se a tua fé vive analisada na intimidade do lar, combatida na oficina de trabalho, fustigada no círculo de amigos, fiscalizada na ribalta social ou testada na enxerga de sofrimento…

Somente conduzindo a nossa cruz de renúncia às gloriolas do século, com a serenidade da abnegação e com o sorriso da paciência é que poderemos ser recompensados pelo triunfo sobre nós mesmos, nas rotas da perfeita alegria.

 

Pelo Espírito Caírbar Schutel. Psicografia de Francisco Cândido Xavier. Livro: Ideal Espírita. Lição nº 40. Página 103.

 

 

Publicado por: . | 5 junho, 2018

Vigiai…

A LIÇÃO DA VIGILÂNCIA

 

Aproximando-se o termo de sua passagem pelos caminhos da Terra, reuniu Jesus os doze discípulos, com o fim de lhes consolidar nos corações os santificados princípios de sua doutrina de redenção. orai_vigiai

Naquele crepúsculo de ouro, por feliz coincidência, todos se achavam em Cesaréia de Filipe, onde a paisagem maravilhosa descansava sob as bênçãos do céu.

Jesus fitou serenamente os companheiros e, ao cabo de longa conversação, em que lhes falara confidencialmente dos serviços grandiosos do futuro, perguntou com afetuoso interesse:

— E que dizem os homens a meu respeito? De alguma sorte terão compreendido a substância de minhas pregações?!…

João respondeu que seus amigos o tinham na conta de Elias, que regressara ao cenário do mundo depois de se haver elevado ao céu num carro flamejante; Simão, o Zelote, relatou os dizeres de alguns habitantes de Tiberíades, que acreditavam ser o Mestre o mesmo João Batista ressuscitado; Tiago, filho de Cleofas, contou o que ouvira dos judeus na Sinagoga, os quais presumiam no Senhor o profeta Jeremias.

Jesus escutou-lhes as observações com o habitual carinho e inquiriu:

— Os homens se dividem nas suas opiniões; mas, vós, os que tendes comungado comigo a todos os instantes, quem dizeis que eu sou?

Certa perplexidade abalou a pequena assembléia: Simão Pedro, porém, deixando perceber que estava impulsionado por uma energia superior, exclamou, comovidamente:

— Tu és o Cristo, o Salvador, Leia Mais…

Publicado por: . | 4 junho, 2018

Em Nossas Tarefas

“… não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes.” – Paulo. (Romanos, 12:16.)

chico

“Não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes” – recomenda o apóstolo, sensatamente.

Muitos aprendizes do Evangelho almejam as grandes realizações de um dia para outro…

A coroa da santidade.

O poder da cura…

A glória do conhecimento superior…

As edificações de grande alcance…

Entretanto, aspirar só por si não basta à realização.

Tudo, nos círculos da Natureza, obedece ao espírito de seqüência.

A árvore vitoriosa na colheita passou pela condição do arbusto frágil.

A catarata que move poderosas turbinas é um conjunto de fios d’água no nascedouro.

Imponente é o projeto para a construção de uma casa nobre, no entanto, é indispensável o serviço da picareta e da pá, do tijolo e da pedra, para que a arte e o reconforto se exprimam.

Abracemos os deveres humildes com devoção ao nosso ideal de progresso e triunfo.

Por mais árdua e mais simples a nossa obrigação, atendamo-la com amor.

A palavra de Paulo é sábia e justa, porque, escalando com firmeza as faixas inferiores do monte, com facilidade lhe conquistamos o cimo e, aceitando de boa-vontade as tarefas pequeninas, as grandes tarefas virão espontaneamente ao nosso encontro.

Fonte:

Livro “Fonte Viva”

Psicografia: Francisco Cândido Xavier

Pelo Espírito: Emmanuel

Lição: 118

Publicado por: . | 3 junho, 2018

Pão – psicografia de Chico Xavier

Publicado por: . | 3 junho, 2018

Boas Obras – psicografia de Chico Xavier

Publicado por: . | 2 junho, 2018

Solidão

“O presidente, porém, disse: – mas, que mal fez ele? E eles mais clamavam, dizendo: – seja crucificado.” – (Mateus, 27:23.)

À medida que te elevas, monte acima, no desempenho do próprio dever, experimentas a solidão dos cimos e incomensurável tristeza te constringe a alma sensível.solidão

Onde se encontram os que sorriram contigo no parque primaveril da primeira mocidade?

Onde pousam os corações que te buscavam o aconchego nas horas de fantasia? Onde se acolhem quantos te partilhavam o pão e o sonho, nas aventuras ridentes do início?

Certo, ficaram…

Ficaram no vale, voejando em círculo estreito, à maneira das borboletas douradas, que se esfacelam ao primeiro contacto da menor chama de luz que se lhes descortine à frente.

Em torno de ti, a claridade, mas também o silêncio…

Dentro de ti, a felicidade de saber, mas igualmente a dor de não seres compreendido…

Tua voz grita sem eco e o teu anseio se alonga em vão. Leia Mais…

Publicado por: . | 1 junho, 2018

Meimei – Amor das Estrelas – Palestra vídeo

Realizada no Grupo Meimei, Nova Lima Minas Gerais 09/01/2018

Publicado por: . | 31 maio, 2018

 

 

Para encontrar o bem e  assimilar-lhe  a  luz,  não  basta  admitir- lhe a existência. É  indispensável  buscá-lo  com  perseverança  e  fervor.ESPERANÇA

Ninguém pode duvidar da eletricidade,  mas  para  que  a  lâmpada nos ilumine o aposento recorremos a fios Condutores que lhe transportem a força, desde a aparelhagem da usina distante até o recesso de nossa casa.

A fotografia é hoje fenômeno corriqueiro; contudo, para que a imagem se fixe, na execução do retrato, é preciso que a emulsão gelatinosa sensibilize a placa que a recebe.

A voz humana, através da radiofonia, é transmitida de um  continente a  outro,  com  absoluta   fidelidade;   todavia,   não  prescinde do remoinho eletrônico que, devidamente disciplinado,  lhe transporta as ondulações.

Não podemos, desse modo, plasmar realização alguma  sem atitude positiva de confiança.

Entretanto, como exprimir a fé? Leia Mais…

Estudo Romanos 11: 18 a 22 com Carlos A B Costa em 30/05/2018

 

Mensagens de um “tal” “Emmanuel”

Carlos Alberto Braga Costa

betobragacosta@gmail.com

Belo Horizonte- MG

 

            Chegou-nos, pelos canais da internet, uma de muitas mensagens apócrifas supostamente de autoria dos Benfeitores que operam nas Esferas Espirituais.

            Em meio ao caos político e econômico que atravessa a nação brasileira, a moda agora revela os “Espíritos Superiores” envolvidos com as querelas humanas, como se não houvesse no Mundo Espiritual atribuições relevantes. 

            Política, economia, lava jato, greves, eleições, passaram a ser tema do alto escalão das esferas dos “mortos”. Parafraseando o poeta Humberto de Campos quando ainda encarnado, insuflava no surto de seu escárnio, criticando a obra “Parnaso de Além-Túmulo” pronunciando nas gazetas do Rio de Janeiro:- “os vivos estão em apuros, pois os mortos estão descendo para substituí-los”.

            Pelo menos se fomenta para aqueles a serem substituídos, uma onda de correntes de orações para salvá-los e acalmar os ânimos exaltados. E, ao que parece, o Brasil precisa de muitas preces. Isso nos faz pensar como andam a deriva os outros países que não tem a missão de ser o coração do Mundo. (Sic) 

            Nessa apoteose de mensagens, a maioria tem selo divino, pois são assinadas pelos mais famosos vultos do Movimento Espírita, a saber: Anjo Ismael, Eurípedes Barsanulfo, Bezerra de Menezes, André Luiz, e outros para assuntos espíritas. Tirandentes, José Bonífácio e tantos políticos desencarnados que se mobilizam para cuidar das PECs, Medidas Provisórias, Decretos Leis e outra tantas resoluções advindas dos 3 poderes do Brasil.

            Para não perder o posto de coordenador da falange impoluta, surge um novo Emmanuel. Destaca-se por ser político do astral e salvador da pátria. Para alguns ele já reencarnou para ser, pasmem, presidente. Cabe, no entanto, descobrir quando e por qual partido. Só sabemos que esse de agora, vem aos mortais revelar-se preocupadíssimo com os problemas do “Planalto Central”.

            Como se não bastasse, tem soluções espetaculares. Abre portais miraculosos, revelando novidades que alteram subitamente a vida no território humano. Vamos aguardar o que irá sugerir na próxima eleição, pois também anda incentivando as famosas correntes de oração.  

            Com Chico Xavier tínhamos Emmanuel ensinando e exemplificando nas tarefas do Consolador. Depois da desencarnação do médium mineiro, não sabendo o motivo, temos “Emmanuel” para todos os gostos e necessidades, contradizendo o que ele fez com tanta propriedade.  Pergunta-se: O cargo está vago? Ou a coisa anda preta mesmo?

            Brincadeiras a parte, sabemos que não. Emmanuel é um Espírito com muitas responsabilidades quanto ao progresso pessoal e coletivo e continua atuando proficuamente nas frentes espirituais, junto aos médiuns sérios e fidedignos aos princípios do Espiritismo. A lógica aponta para sua atuação, como antes, voltada para o desenvolvimento no campo moral e no auxílio aos sofredores.  E, atualmente, junto de Chico Xavier que ingressou na admirável falange do bem nos domínios e dimensões do ultra tumba.

            Certa feita, Chico Xavier quebrou o protoco e desferiu um golpe certeiro contra a suposta exclusividade entre ele e o Espírito Emmanuel.

            Dialogando com Júlio César G. Ribeiro, após Julinho psicografar um texto do benfeitor Emmanuel, ele assim pronunciou: “É Emmanuel puro! Precisamos saber que Emmanuel não é de Chico e nem de ninguém.” Em seguida Julinho, conforme carinhosamente era tratado por Chico, questionou: – “Chico! Será que Emmanuel só pode psicografar por você? E quando você se for?… Os espíritos guardam preferências por médiuns? E o grande médium acrescentou com humildade: “Dei-lhe explicações bastante convincentes acerca das afinidades espirituais e dos compromissos assumidos em nome das responsabilidades mediúnicas, lembrando-lhe que Emmanuel é de todos e para todos…. Esta mensagem veio a calhar, meu filho…”[1]

            Com esse depoimento, Chico Xavier demonstra que todos são livres para operar e se relacionar. A beleza do trabalho do Cristo enseja dinamizar as relações, ampliando experiências e favorecendo a interação entre os habitantes das diversas dimensões nas “Moradas do Pai”.

            Conclui-se que todo exclusivismo representa polarização fanática e absurdo enquistamento personalístico.

            Voltando ao venerando Emmanuel e as supostas “mensagens”, sabe-se que ficou notoriamente conhecido como Espírito coordenador de vasta literatura de conteúdo Espírita.

            Polígrafo admirável, exegeta de alta qualidade, educador por excelência, escritor nobre, romancista de alta categoria, hábil na síntese de seus textos, apresentou um estilo inconfundível. Ético no trato dos temas polêmicos, fiel aos princípios Codificados por Allan Kardec, Emmanuel se revelou notável evangelista.

            Bem diferente desse “tal” “Emmanuel”, que se manifesta místico, ufanista, político e nacionalista.

            Não nos prenderemos no tema “ocupação dos Espíritos Superiores”. No entanto, o dever como aprendizes da Boa Nova à Luz do Espiritismo e admiradores dos veros Educadores do além-túmulo, seria usar de prudência antes de sair espalhando mensagens que chegam pelos mais diversos caminhos virtuais sem antes analisar fonte, autor, estilo, conteúdo e circunstância.

            De confusão, basta o que está fora das hostes espíritas! Todo cuidado é pouco com as mensagens assinadas por espíritos ilustres.

            A lógica patenteia a observação séria, honesta e criteriosa antes de espalhar vírus pela rede extraordinária de intercâmbio virtual.

            Se continuarmos agindo impensadamente com o desculpismo de que isso “não faz mal algum”, em breve constataremos que “bem também não faz”. E por essa desculpa, em nome do Espiritismo, poderemos estar prestando um desserviço à causa do Consolador.

            Sem contar que estaremos apoiando e/ou engrossando as fileiras dos tais pretensos “emmanueis”…

            Quanto ao Brasil, sem dúvida que devemos nos unir em prece, e trabalhar de sol a sol com confiança que o futuro é construído a partir do agora.

            A cada um segundo suas obras….

            Para encerrar, vamos estudar.

            Convido o web amigo a meditar com o Espírito Emmanuel numa reflexão de conjuntura a respeito do cenário da política nacionalista dos idos de 1935, conforme pode ser acessado no link https://chico-xavier.com/2018/05/28/nacionalismo-fraternidade-espirito-emmanuel-f-c-xavier/,   cremos que as ponderações do aludido texto poderia contribuir com a análise do cenário atual, obviamente em foro de imortalidade.  

Ave, Cristo!

 

Referência bibliográfica:

[1]       MATTOS. Divaldinho. De Amigos para Chico Xavier, SP: Ed. DIDIER, 1997

 

Publicado por: . | 29 maio, 2018

A ORAÇÃO DO JUSTO

 

“A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” – TIAGO, 5:16.

orar

Considerando as ondas do desejo, em sua força vital, todo impulso e todo anseio constituem também orações que partem da Natureza.

O verme que se arrasta com dificuldade, no fundo está rogando recursos de locomoção mais fácil.

A loba, acariciando o filhotinho, no imo do ser permanece implorando lições de amor que lhe modifiquem a expressão selvagem.

O homem primitivo, adorando o trovão, nos recessos d’alma pede explicações da Divindade, de maneira a educar os impulsos da fé.

Todas as necessidades do mundo, traduzidas no esforço dos seres viventes, valem por súplicas das criaturas ao Criador e Pai.

Por isto mesmo, se o desejo do homem bom é Leia Mais…

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias