Publicado por: . | 9 agosto, 2021

Andar com Ele andou – Dica da semana

🇧🇷

📺 TV GÊNESE

📡 APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL394

TEMA: ANDAR COMO ELE ANDOU

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 09/08/2021

O Espírito Emmanuel nos oferece mais um momento de espiritualidade, recordando Carta de João se referindo ao Cristo. “Quando o apóstolo nos declara — “aquele que diz permanecer nele, deve também andar como ele andou” —, deseja naturalmente dizer: “quem se afirma seguidor de Jesus, decerto deverá imitar-lhe a conduta, buscando viver na exemplificação em que o Mestre viveu”. Agradecemos a Doutrina Espírita pelas oportunidades concedidas. Participe conosco do Estudo de segunda a sexta para fortalecer o ideal de aprender para servir melhor.

Fonte: I João, 2:6

Fonte viva – 167 – Emmanuel – Francisco C Xavier

Observemo-nos

“Aquele que diz permanecer nele, deve também andar como ele andou.” — JOÃO (1 João, 2.6)

Há quem afirme viver com a bondade de Jesus e não hesita em atirar-se contra os semelhantes, através da maledicência e da crueldade.

Há quem assevere compreender o otimismo do Divino Mestre e não vacila em concentrar-se nas sombras do pessimismo e do desespero.

Há quem proclame a fraternidade do Cristo, incentivando a separação e a discórdia.

Há quem exalte o trabalho incessante do Senhor na extensão do bem, acomodando-se na rede da preguiça e do comodismo.

Há quem louve a simplicidade do Eterno Amigo, complicando todos os problemas da estrada.

Há quem glorifique a paciência do Sublime Instrutor, agarrando-se ao pedregulho da agressividade e da intolerância.

Se nos confessamos aprendizes do Evangelho, observemos os nossos próprios passos.

Lembremo-nos de que o nome de Jesus está empenhado em nossas mãos.

Assim compreendendo, afeiçoemo-nos ao Modelo Divino.

Quando o apóstolo nos declara — “aquele que diz permanecer nele, deve também andar como ele andou” —, deseja naturalmente dizer:

“quem se afirma seguidor de Jesus, decerto deverá imitar-lhe a conduta, buscando viver na exemplificação em que o Mestre viveu”.

Emmanuel – Francisco Cândido Xavier – Fonte viva . 167

Publicado por: . | 6 agosto, 2021

BONDADE PARA COM TODOS

Publicado por: . | 6 agosto, 2021

PRECE DE JOÃO EVANGELISTA

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡

APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL393

TEMA: UM ESPÍRITO QUE VOLTA

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 06/08/2021

Um Espírito que volta é o Irmão Jacob ofertando um depoimento marcante para as almas sensíveis, através da psicografia realizada por Francisco Cândido Xavier em 19/02/1948.

Agradecemos a Doutrina Espírita pelas oportunidades concedidas. Participe conosco do Estudo de segunda a sexta para fortalecer o ideal de aprender para servir melhor.

Fonte: Voltei – Irmão Jacob – Francisco C Xavier

A luta continua

Enquanto no corpo, não formulamos a ideia exata do que seja a realidade, além da morte. Ainda mesmo quando o Espiritismo nos ajuda a pensar seriamente no assunto, debalde tentaremos calcular relativamente ao futuro, depois do sepulcro.

Os quadros sublimes ou terríveis no plano externo correspondem, de alguma sorte, à nossa expectativa; contudo, os fenômenos morais, dentro de nós, são sempre fortes e inesperados.

Antes da passagem, tudo me parecia infinitamente simples!

Não passaria a morte de mera libertação do Espírito e mais nada.
Seguiria nossa alma para esferas de julgamento, de onde voltaria a reencarnar, caso não se transferisse aos Mundos Felizes.

Compreendo hoje que aceitar esta fórmula, seria o mesmo que menoscabar a existência humana, declarando-se que o homem apenas renascerá na Terra, respirará entre as criaturas e, em seguida, se libertará do corpo de baixa condensação fluídica.

Quantos conflitos, porém, entre o aparecimento e a desagregação do veículo carnal? quantas lições entre a infância e o declínio das forças físicas?

Reconheço, presentemente, que as dificuldades não são menores para a alma liberta dos mais pesados impedimentos do Plano material.
Entre o ato de perder a carcaça de ossos e a iniciativa de reencarnação ou de elevação, temos o tempo, e o conteúdo desse tempo reside em nós mesmos.
Quantos óbices a vencer, quantos enigmas a solucionar?

Acreditei que o fim das limitações corporais trouxesse inalterável paz ao coração, mas não é bem assim.

No fundo, em nossas organizações religiosas, somos uma espécie de combatentes prontos a batalhar a distância de nossa moradia e, quando nos julgamos de posse da vitória final, tornamos ao círculo doméstico para enfrentar, individualmente, a mesma guerra, dentro de casa.

Vestimos a roupa de carne, a fim de lutar e aprender e, se muitas vezes sorvemos o desencanto da derrota, em muitas ocasiões nos sentimos triunfadores. Somos, então, filhos da turba distraída, companheiros de mil companheiros, cooperadores de mil cooperadores.

Chega, no entanto, o momento em que a morte nos reconduz à intimidade do lar interior.
E se não houve de nossa parte a preocupação de construir, aí dentro, um santuário para as determinações divinas, quantos dias gastamos na limpeza, no reajustamento e na iluminação?

Oh! meus amigos do Espiritismo, que amamos tanto! É para vocês — membros da grande família que tanto desejei servir — que grafei estas páginas, sem a presunção de convencer!

Não se acreditem quitados com a Lei, por haverem atendido a pequeninos deveres de solidariedade humana, nem se suponham habilitados ao paraíso, por receberem a manifesta proteção de um amigo espiritual!
Ajudem a si mesmos, no desempenho das obrigações evangélicas!
Espiritismo não é somente a graça recebida, é também a necessidade de nos espiritualizarmos para as esferas superiores.

Falo-lhes hoje com experiência mais dilatada. Depois de muitos anos, nas lides da Doutrina, estou recompondo a aprendizagem, a fim de não ser o companheiro inadequado ou o servo inútil. Guardem a certeza de que o Evangelho de Nosso Senhor Jesus-Cristo não é apenas um conjunto brilhante de ensinamentos sublimes para ser comentado em nossas doutrinações — é Código da Sabedoria Celestial, cujos dispositivos não podemos confundir.

Agradeço, sensibilizado, a colaboração de Emmanuel e de André Luiz, nos registros humildes de meu refazimento espiritual, nestas páginas que endereço aos irmãos de ideal e serviço.

E pedindo a Jesus nos fortaleça a todos, no trabalho a que fomos conduzido, de modo a estendermos, além de nós, as bênçãos que nos felicitam, rogo também ajuda para mim mesmo, a fim de que a Luz Divina me esclareça e auxilie, dentro do novo caminho de trabalho e elevação, porque, se a experiência carnal amadurece e passa, a vida prossegue e a luta continua.

Irmão Jacob – Livro: Voltei – Psicografia Francisco Cândido Xavier – FEB

Pedro Leopoldo, 19 de fevereiro de 1948

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡

APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL392

TEMA: CAMINHO PARA A VITÓRIA

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 05/08/2021

Jesus nos oferece uma dica que modifica nossa visão materialista: “Bem aventurados os pobre de espírito, pois que deles é o reino dos céus. Mateus,5:3. Neste vídeo Carlos Alberto compartilha a interpretação de Allan Kardec e dos Espíritos sobre o caminho para as conquistas interiores. Participe conosco do Estudo do Evangelho à luz da Doutrina Espírita, fortalecendo os laços de união de corações. Assistindo o vídeo na íntegra, não se esqueça de dar um like, e compartilhe com amigos

Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo VII item 1,3 e 6 – Allan Kardec

Alma e Vida – lição O Caminho do Reino – Maria Dolores – Francisco C Xavier

O caminho do Reino

Após a última ceia, o discípulo João,
O mais jovem do Grande Apostolado,
Sob forte impressão
De tudo quanto ouvira do Senhor,

Tendo Jesus ao lado
Indagou, pensativo:
— “Mestre, é tão grande a luz da esperança
em que eu vivo,
Que me permito perguntar:
Onde posso encontrar,
Inda mesmo em estudo alto e profundo,
Nas instruções do mundo,
O caminho real para o Reino do Amor?”

O Cristo replicou: — “Medita, João,
Asserena teu próprio coração,
Aqui, ali, além, seja onde for,
Segue plantando o bem, a paz, o amor…

A vida é um livro aberto
E a própria vida te trará por certo,
Ante as inspirações que vertem das Alturas,
A estrada para o reino que procuras…”

Depois do encontro amigo,
Tudo se transformou nas Boas Novas…
O grupo penetrou em grandes provas:
Medo, tristeza, angústia, inquietação, perigo…

Jesus fora arredado da enxovia.
Em silêncio e à distância, João seguia
Todas as ocorrências, de hora a hora.

Por fim, notou, quase desatinado,
Que o Mestre, portador de tanto bem,
Vinha sendo espancado
Sob as injúrias de Jerusalém.

O apóstolo sem paz
Observou que a multidão
Lançava o Cristo na condenação
E absolvia Barrabás…

Perplexo anotou que a tantas zombarias
Não formulou Jesus quaisquer respostas…
O Mestre admitira a cruz às costas,
Por entre acusações e gritarias.

Depois, ei-lo a seguir fatigado e hesitante…
Tropeçava, suarento.
O cortejo seguia, frio e lento,
A engrossar-se de gente, instante a instante.

Para ajudar-lhe a marcha estranha e triste,
Foi trazido até ele o cireneu…
A turba protestou, de dedo em riste,
Jesus, porém, calou-se e nada respondeu…

Terminado que foi o duro itinerário,
Alcançara o Senhor o cimo do Calvário…

João que a tudo assistia,
Antes de se achegar à bênção de Maria,
Esmagado de dor, surpresa e espanto,
Rememorava em pranto
Todo o amor que Jesus distribuíra…

As pregações do lago, ante os céus de safira,
O Sermão da Montanha, à luz da Natureza,
O pão multiplicado, o riso das crianças,
A exaltação das bem-aventuranças,
Os doentes curados, a beleza
Da fé que renascia em tanto rosto
Que a provação cobria em névoa de desgosto…

Lembrava os paralíticos reerguidos,
A gratidão de todos os caídos
Que o Mestre levantara para o bem…

Como entender, assim, Jerusalém
Que condenava o mensageiro
Da Bondade dos Céus para com o mundo inteiro?

Tocado de emoção e sofrimento,
Abeirou-se do Cristo, então tranquilo e atento,
E ponderou: — “Senhor, não posso crer…
Pelo bem que se faz, é preciso morrer?

Por haveres plantado a paz e a luz
Deves achar a morte sobre a cruz?
Defende-te, Senhor, fala, protesta,
O teu ensinamento é a força que me resta,
Não me deixes, em dúvida, sozinho!…

Mas Jesus, compreendendo o tempo escasso,
Respondeu, transpirando amargura e cansaço:
— “Não te lamentes, João!… Deus vive em nós…”

Depois, erguendo a voz,
Disse, fitando o monte em pedra e espinho,
A refletir no olhar a própria dor:
— “Por enquanto, na Terra, este é o caminho,
O caminho real para o Reino do Amor!…”

Maria Dolores – Alma e Vida – 28 — Psicografia de Francisco Cândido Xavier

Publicado por: . | 4 agosto, 2021

PENSAMENTO IDIOMA UNIVERSAL – você sabia?

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡

APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL391

TEMA: PENSAMENTO IDIOMA UNIVERSAL

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 04/08/2021

Participe conosco do Estudo do Evangelho à luz da Doutrina Espírita, fortalecendo os laços de união de corações. O encontro PENSAMENTO IDIOMA UNIVERSAL oferece muitas reflexões inspiradas pelos Benfeitores Espirituais. Oferta generosa que consola orientando a prática do bem. “O Espiritismo, hoje, projeta luz sobre uma imensidade de pontos obscuros” Assistindo o vídeo na íntegra, não se esqueça de dar um like, e compartilhe com amigos

Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo XXIV item 1 e 7 – Allan Kardec

Seara dos Médiuns – lição Faixas – Emmanuel – Francisco C Xavier

Faixas

Reunião pública de 27 de Maio de 1960

Item n.° 285 de “O Livro dos Médiuns”

Comunicação espiritual não é privilégio da organização mediúnica.

O pensamento é idioma universal e, compreendendo-se que o cérebro ativo é um centro de ondas em movimento constante, estamos sempre em correspondência com o objeto que nos prende a atenção.

Todo Espírito, na condição evolutiva em que nos encontramos, é governado essencialmente por três fatores específicos, ou, mais propriamente, a experiência, o estímulo e a inspiração.

A experiência é o conjunto de nossos próprios pensamentos.

O estímulo é a circunstância que nos impele a pensar.

A inspiração é a equipe dos pensamentos alheios que aceitamos ou procuramos.

Tanto quanto te vês compelido, diariamente, a entrar na faixa das necessidades do corpo físico, pensando, por exemplo, na alimentação e na higiene, és convidado incessantemente a entrar na faixa das requisições espirituais que te cercam.

Um livro, uma página, uma sentença, uma palestra, uma visita, uma notícia, uma distração ou qualquer pequenino acontecimento que te parece sem importância, pode representar silenciosa tomada de ligação para determinado tipo de interesse ou de assunto.

Geralmente, toda criatura que ainda não traçou caminho de sublimação moral a si mesma assemelha-se ao viajante entregue, no mar, ao sabor das ondas.

Receberás, portanto, variados apelos, nascidos do campo mental de todas as inteligências encarnadas e desencarnadas que se afinam contigo, tentando influenciar-te, através das ondas inúmeras em que se revela a gama infinita dos pensamentos da Humanidade, mas, se buscas o Cristo, não ignoras em que altura lhe brilha a faixa.

Com a bússola do Evangelho, sabemos perfeitamente onde se localizam o bem e o mal, razão por que, dispondo todos nós do leme da vontade, o problema de sintonia corre por nossa conta.

Emmanuel – Francisco Cândido Xavier – Seara dos médiuns 38

Publicado por: . | 3 agosto, 2021

Um só senhor – Siga Jesus

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡

APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL390

TEMA: UM SÓ SENHOR 📲

Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 03/08/2021

“Senhor sobre sua palavra lançarei as redes”. O programa Gênese no Lar interpreta essa fala de Simão Pedro, após o ensinamento de Jesus, conforme a passagem A Pesca Maravilhosa. Participe conosco do Estudo do Evangelho à luz da Doutrina Espírita, fortalecendo os laços de união de corações.

Assistindo o vídeo na íntegra, não se esqueça de dar um like, e compartilhe com amigos

Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo VI item 4 – Allan Kardec

Lucas, 5:1-5

Caminho Verdade e Vida – lição 142 – Emmanuel – Francisco C Xavier

Um só Senhor

“Nenhum servo pode servir a dois senhores.” — JESUS (Lucas, 16.13)

Se os cristãos de todos os tempos encontraram dolorosas situações de perplexidade nas estradas do mundo, é que, depois dos apóstolos e dos mártires, a maioria tem cooperado na divulgação de falsos sentimentos, com respeito ao Senhor a que devem servir.

Como o Reino do Cristo ainda não é da Terra, não se pode satisfazer a Jesus e ao mundo, a um só tempo.

O vício e o dever não se aliam na marcha diária.

Que dizer de um homem que pretenda dirigir dois centros de atividade antagônica, em simultâneo esforço?

Cristo é a linha central de nossas cogitações.

Ele é o Senhor único, depois de Deus, para os filhos da Terra, com direitos inalienáveis, porquanto é a nossa luz do primeiro dia evolutivo e adquiriu-nos para a redenção com os sacrifícios de seu amor.

Somos servos d’Ele. Precisamos atender-lhe aos interesses sublimes, com humildade.

E, para isso, é necessário não fugir do mundo, nem das responsabilidades que nos cercam, mas, sim, transformar a parte de serviço confiada ao nosso esforço, nos círculos de luta, em célula de trabalho do Cristo.

A tarefa primordial do discípulo é, portanto, compreender o caráter transitório da existência carnal, consagrar-se ao Mestre como centro da vida e oferecer aos semelhantes os seus divinos benefícios.

Emmanuel – Francisco Cândido Xavier – Caminho, Verdade e Vida – lição 142 —

Publicado por: . | 2 agosto, 2021

Deus está no leme – Mensagem do dia

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡

APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL389

TEMA: DEUS ESTÁ NO LEME

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 02/08/2021

O programa Gênese no Lar apresenta reflexões sobre a caminhada evolutiva do Espírito sob a tutela das Leis Divinas. Papo fraterno e rico de ensinamentos, orientados pelos Espíritos coordenadores da Fraternidade de Estudos Allan Kardec. “é preciso jamais esquecer que Deus está no leme.” Emmanuel Assistindo o vídeo na íntegra, não se esqueça de dar um like, e compartilhe com amigos

Fonte: Evangelho Segundo o Espiritismo – Capítulo VI item 5 – Allan Kardec

Encontro Marcado – lição 5 – Emmanuel – Francisco C Xavier

Renovações

TEMA — Renovações inevitáveis da vida.

Pausar para refletir ou refazer.
Nunca estacionar para censurar ou lamentar.

Em toda parte e em qualquer tempo, vemos a vitalidade do Universo a exprimir-se, incessantemente.
Árvores lançam fora de si as folhas inúteis e deitam vergônteas novas.
Sementes lembrando fragmentos cadaverizados da Natureza são confiadas à terra que as fecunda, transfigurando-as com o tempo em gigantes do plano vegetal.

Em teu próprio corpo, o princípio da ação constante se manifesta; enquanto te guardas independente na esfera dos próprios pensamentos, milhões de células trabalham em teu favor.
Alimentas-te e não te preocupas com os fenômenos da nutrição.
Dormes e múltiplas operações fisiológicas se efetuam em ti, sem que precises tomar disso imediato conhecimento.

Queiramos ou não reconhecer a verdade, estamos mergulhados no oceano da Energia Divina, tanto quanto o peixe dentro d’água.

Nós, porém — as criaturas humanas —, somos almas conscientes, erguidas ao regime da responsabilidade pessoal ante os privilégios da razão e, conquanto “existamos e nos movamos em Deus”, conforme a feliz assertiva do apóstolo Paulo, somos livres para pensar, imaginar, criar e estabelecer, gerando causas e consequências na esfera de nossos próprios destinos.

Daí, a necessidade de nos enquadrarmos nos planos do Supremo Pai, quanto à edificação da felicidade de todos, aceitando e abençoando as renovações que se nos façam indispensáveis.

Acreditar na força do bem e cooperar com ela, na sustentação da harmonia geral, é imperativo da Lei Divina, de cuja execução não nos é lícito desvencilhar.

Se intimados pelas circunstâncias a necessárias alterações na experiência cotidiana, louvemos a Divina Providência e vejamos como dirigir convenientemente as nossas possibilidades para que se faça o melhor com o nosso auxílio, na obra do progresso e do aprimoramento em nós e fora de nós.

Em quaisquer óbices que nos tentem barrar a jornada evolutiva, procuremos a superação deles, através da ação contínua no bem de todos.

Comparemos a nossa tarefa a um navio lançado ao mar. Tempestades sobrevêm e rochedos surgem, obrigando-nos, muita vez, a mudanças de rumo; no entanto, se cada um de nós se mantém fiel no posto de trabalho a que foi conduzido, com aplicação sincera ao próprio dever, nenhum perigo nos impelirá a desastre, porque,
se o homem coopera, Deus opera, e se nós — a Humanidade — somos a equipagem na embarcação enorme do mundo, é preciso jamais esquecer que Deus está no leme.

Emmanuel – Francisco Cândido Xavier – Encontro marcado lição 5

Publicado por: . | 30 julho, 2021

Desfazendo a ilusão – Espiritismo e Evangelho

🇧🇷 📺 TV GÊNESE


📡 APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL388
TEMA: DESFAZENDO A ILUSÃO
📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 30/07/2021
Gênese no Lar oferece neste encontro com o Evangelho, a passagem da Entrada triunfal de Jesus em Jerusalém. Carlos Alberto compartilha a interpretação do fato dialogando com as necessidades do educando à caminho do aprimoramento intelecto moral. O coroamento do evento foi dado por Emmanuel na passagem intitulada Diante dos outros: ” Indubitavelmente, a Doutrina Espírita, com a bênção de Jesus, não te pede aplaudir a ilusão dos outros, mas, em toda parte, é apelo vivo das Esferas Mais Altas a que aprendamos e trabalhemos, instruindo e servindo, para que a verdade, dosada em amor, se faça luz que auxilie os outros, desfazendo a ilusão”.
Fonte: Marcos 11:1 a 10
Seara dos Médiuns – Emmanuel – Francisco C Xavier
Assistindo o vídeo na íntegra, não se esqueça de dar um like, e compartilhe com amigos

Diante dos outros

Reunião pública de 25 de Novembro de 1960

Item n.° 302 de “O Livro dos Médiuns”

Na trilha humana, é indispensável consideres os problemas dos outros.

Há quem deseje seguir no ritmo de teus modos; contudo, tem os pés claudicantes.

Amigos vários tentam escutar determinada peça musical com a tua acuidade auditiva, mas carregam com eles os tímpanos semimortos.

Companheiros diversos quereriam ver a Terra com a precisão de teus olhos; no entanto, sofrem deficiências da miopia.

Esse pretende comer de teu prato suculento; entretanto, guarda o estômago doente, pedindo canja leve.

Outro aspira a partilhar-te o labor manual; todavia, mostra o braça hemiplégico, envolvido em tipoia.

Aquele outro procura recordar com a segurança de tuas reminiscências; contudo, traz o cérebro dominado pela amnésia.

Assim também, na caminhada espiritual, surpreenderás criaturas irmãs que não podem comungar-te, de pronto, a faixa de experiência.

Estimariam sentir como sentes e raciocinar como raciocinas; no entanto, respiram ainda nos começos difíceis ou nas provas regenerativas da inibição.

Tanto quanto não podes exigir passo firme a pernas enfermas, nem pensamento certo a cabeça louca, não deves esperar que o próximo te abrace a convicção ou te adote o ponto de vista.

Cada pessoa vê a paisagem da condição em que se coloca.

Conflito acalentado gera conflitos novos. Discórdia mantida é processo de crueldade.

Indubitavelmente, a Doutrina Espírita, com a bênção de Jesus, não te pede aplaudir a ilusão dos outros, mas, em toda parte, é apelo vivo das Esferas Mais Altas a que aprendamos e trabalhemos, instruindo e servindo, para que a verdade, dosada em amor, se faça luz que auxilie os outros, desfazendo a ilusão.

Emmanuel – Francisco Cândido Xavier – Seara dos médiuns – lição 85 — FEB

Publicado por: . | 29 julho, 2021

ORAÇÃO DO SERVO IMPERFEITO – DA HORA

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡

APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL387

TEMA: ORAÇÃO DO SERVO IMPERFEITO

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 29/07/2021

Gênese no Lar encontro de corações amigos, pura fraternidade cristã. Neste estudo Carlos Alberto compartilhou dois momentos históricos, registrados pela mediunidade de Francisco Cândido Xavier. No primeiro momento o espírito Neio Lúcio foi lembrado por sua narrativa referente uma resposta dada por Jesus para a esposa de Zebedeu. “_Senhor, como se verificará nossa jornada para o Reino divino? No segundo momento uma oração feita pelo espírito Albino Teixeira que deu o título para nosso encontro. “Senhor, concede-me, por acréscimo de misericórdia a felicidade de trabalhar e ensina-me a receber o dom de servir”.

Assista o vídeo na íntegra e não se esqueça de dar um like e compartilhe.

Fonte: Jesus no Lar 49 – Neio Lúcio – F C Xavier

A jornada redentora

Aberta a doce conversação da noite, em torno da Boa Nova, a esposa de Zebedeu perguntou,

reverente, dirigindo-se a Jesus:

— Senhor, como se verificará nossa jornada para o Reino Divino?

O Cristo pareceu meditar alguns momentos e explanou:

— Num vale de longínquo país, alguns judeus cegos de nascença habituaram-se à treva e à miséria em que viviam, e muitos anos permaneciam na furna em que jaziam mergulhados,

quando iluminado irmão de raça por lá passou e falou-lhes da profunda beleza do Monte Sião, em Jerusalém, onde o povo escolhido adora o Supremo Pai. Ao lhe ouvirem a narrativa, todos os cegos experimentaram grande comoção e lastimaram a impossibilidade em que se mantinham.

O vidente amigo, porém, esclareceu-lhes que a situação não era irremediável. Se tivessem coragem de aplicar a si mesmos determinadas disciplinas, com abstinência de variados prazeres de natureza inferior a que se haviam acostumado nas trevas, poderiam recobrar o contacto

com a luz, avançando na direção da cidade santa.

A maioria dos ouvintes recebeu as sugestões com manifesta ironia, assegurando que os progenitores e outros antepassados haviam sido igualmente cegos e que se lhes afigurava impossível

a reabilitação dos órgãos visuais.

Um deles, porém, moço corajoso e sereno, acreditou no método aconselhado e aplicou-o.

Entregou-se primeiramente às disciplinas apontadas e, depois de quatro anos de meditações,

trabalho intenso e observação pessoal da Lei, com jejuns e preces, obteve a visão.

Quase enlouqueceu de alegria.

Em êxtase, contou aos companheiros a sublimidade da experiência, comentando a largueza

do céu e a beleza das árvores próximas; contudo, ninguém acreditou nele.

Não obstante ser tomado por demente, o rapaz não desanimou.

Agora, enxergava o caminho e conseguiria avançar.

Ausentou-se do vale fundo, mas, sem qualquer noção de rumo, vagueou dias e noites,

em estado aflitivo. Atacado por lobos e víboras em grande número, usava a maior cautela, reconhecendo a própria inexperiência, até que, em certa manhã, abeirando-se de um esconderijo cavado na rocha, para colher mel silvestre, foi aprisionado por um ladrão que lhe exigiu a bolsa;

entretanto, como não possuísse dinheiro, deixou-se escravizar pelo malfeitor que durante cinco anos sucessivos o reteve em trabalho incessante. O servo, porém, agiu com tamanha bondade, multiplicando os exemplos de abnegação, que o espírito do perseguidor se modificou,

fazendo-se mais brando e reformando-se para o bem, restituindo-lhe a liberdade.

Emancipado de novo, o crente fiel recomeçou a jornada, porque a ânsia de alcançar o templo divino povoava-lhe a mente.

Pôs-se a caminho, distribuindo fraternidade e alegria com todos os viajores que lhe cruzassem a estrada, mas, atingindo um vilarejo onde a autoridade era exercida com demasiado rigor, foi encarcerado como sendo um criminoso desconhecido; no entanto, sabendo que seria

traído pelas próprias forças insuficientes, caso buscasse reagir, deixou-se trancafiar até que o problema fosse resolvido, o que reclamou longo tempo. Nunca, entretanto, se revelou inativo no exercício do bem. Na própria cadeia que lhe feria a inocência, encontrou vastíssimas oportunidades para demonstrar boa-vontade, amor e tolerância, sensibilizando as autoridades, que o libertaram enfim, …

O ideal de atingir o santuário sublime absorvia-lhe o pensamento e prosseguiu na marcha;

todavia, somente depois de vinte anos de lutas e provas, das quais sempre saía vitorioso, é que conseguiu chegar ao Monte Sião para adorar o Supremo Senhor.

O Mestre interrompeu-se, vagueou o olhar pela sala silenciosa e rematou:

— Assim é a caminhada do homem para o Reino Celestial.

Antes de tudo, é preciso reconhecer a sua condição de cego e aplicar a si mesmo os remédios indicados nos mandamentos divinos. Alcançado o conhecimento, apesar da zombaria de quantos o rodeiam em posição de ignorância, é compelido a marchar por si mesmo, e sozinho

quase sempre, do escuro vale terrestre para o monte da claridade divina, aproveitando todas as oportunidades de servir, indistintamente, ainda mesmo aos próprios inimigos e perseguidores.

Quando o seguidor do bem compreende o dever de mobilizar todos os recursos da jornada, em silêncio, sem perda de tempo com reclamações e censuras, que somente denunciam inferioridade, então estará em condições de alcançar o Reino, dentro do menor prazo, porque

viverá plasmando as próprias asas para o voo divino, usando para isso a disciplina de si mesmo e o trabalho incessante pela paz e alegria de todos.

Caminho Espírita 80 – Albino Teixeira – Francisco C Xavier

ORAÇÃO DO SERVO IMPERFEITO


Senhor!…
Dura é a pedra, entretanto, com a tua sabedoria, temo-las empregada em obras de
segurança.
Violento é o fogo, todavia, sob a tua inspiração, foi ele posto em disciplina, em auxílio da
inteligência.
Agressiva é a lâmina, no entanto, ao influxo de teu amparo, vemo-la piedosa, na caridade
da cirurgia.
Enfermiço é o pântano, contudo, sob tua benevolência, encontramo-lo convertido em celeiro
de flores.
Eu também trago comigo a dureza da pedra, a violência do fogo, a agressividade da lâmina e
enfermidade do charco, mas com a tua bênção de amor, posso desfrutar o privilégio de
cooperar na construção do teu reino!… Para isso, porém, Senhor, concede-me, por
acréscimo de misericórdia, a felicidade de trabalhar e ensinar-me a receber o dom de servir.


Albino Teixeira

Publicado por: . | 28 julho, 2021

Anti-Obsessão – Recado bendido

🇧🇷 📺

TV GÊNESE

📡 APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL386 TEMA: ANTI-OBSESSÃO

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 28/07/2021

Gênese no Lar oração e meditação no coração. Neste encontro foi abordado os aspectos da prece e a boa vontade como recursos imprescindíveis para vencer os males da vida.

Fonte: Evangelho S O Espiritismo – Capítulos, XXVIII – itens 77 e 78 – Allan Kardec

Paz e Renovação – Albino Teixeira – lição 44 – Edit CEC

Antiobsessão

Prejudicial qualquer atitude tendente a acirrar a intemperança ou o ódio de nossos adversários.

Forçoso transformá-los para o bem, a preço de humildade e de amor.

***

Não vale caminhar sob o lenho da mágoa.

Aconselhável dissolver o peso morto de quaisquer golpes na fonte do esquecimento.

***

Inútil gritar contra as próprias dívidas.

Imperioso examiná-las com serenidade para configurar com elas a maneira mais segura de pagamento.

***

Ruinosa qualquer irritação à frente do obstáculo.

Razoável estudá-lo para a devida superação.

***

Absolutamente negativa a decisão de agitar as próprias cadeias.

Justo analisar os motivos da prisão, a fim de saná-los.

Amigos, convençamo-nos de que aversões, animosidades, conflitos acalentados e ressentimentos, sejam quais forem, são pontos de contato para tomadas de obsessão e toda obsessão é entretecida de trevas.

Não adianta, dessa forma, esbravejar contra as sombras. Para arredá-las, é preciso acender uma luz.

Albino Teixeira – Francisco Cândido Xavier – Paz e renovação lição 44 — CEC

Publicado por: . | 27 julho, 2021

Dez maneiras de amar – Dica boa

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡

APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL385

TEMA: DEZ MANEIRAS DE AMAR

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 27/07/2021

Gênese no Lar preces e meditação no limiar do dia. Eventos de pura fraternidade à luz da Doutrina dos Espíritos. Dica do dia: ” Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre”. Estude conosco.

Se inscreva no Canal Gênese e acesse conteúdo

Fonte: Evangelho S O Espiritismo – Capítulos, XVII – itens 1 e 2 – Allan Kardec

Paz e Renovação – André Luiz- F C Xavier – CEC

                   Dez maneiras de amar a nós mesmo

1 — Disciplinar os próprios impulsos.

2 — Trabalhar, cada dia, produzindo o melhor que pudermos.

3 — Atender aos bons conselhos que traçamos para os outros.

4 — Aceitar sem revolta a crítica e a reprovação.

5 — Esquecer as faltas alheias sem desculpar as nossas.

6 — Evitar as conversações inúteis.

7 — Receber no sofrimento o processo de nossa educação.

8 — Calar diante da ofensa, retribuindo o mal com o bem.

9 — Ajudar a todos, sem exigir qualquer pagamento de gratidão.

10 – Repetir as lições edificantes, tantas vezes quantas se fizerem necessárias, perseverando no aperfeiçoamento de nós mesmos sem desanimar e colocando-nos a serviço do Divino Mestre, hoje e sempre.

André Luiz – Francisco Cândido Xavier – Paz e renovação 33 — CEC

Publicado por: . | 26 julho, 2021

Tolerância cimento da união – Dica do dia

🇧🇷 📺 TV GÊNESE
📡 APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL384
TEMA: TOLERÂNCIA CIMENTO DA UNIÃO
📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 26/07/2021
Gênese no Lar evento voltado para reflexões em torno do Evangelho. Neste vídeo o tema versou sobre a Tolerância e o perdão.
“Perdoar aos inimigos é pedir perdão para si próprio;
perdoar aos amigos é dar-lhes uma prova de amizade; perdoar
as ofensas é mostrar-se melhor do que era.” Paulo
Estude conosco pelas manhãs. Se inscreva no Canal Gênese
Fonte: Evangelho S O Espiritismo – Capítulos, XI – item 15- Allan Kardec
A Sombra do Abacateiro – CAB – F C Xavier – IDEAL

https://youtu.be/eAyA43WZXyk

Publicado por: . | 25 julho, 2021

Teoria Moral Espírita – Bases doutrinárias

🖥️ 📺 TV GÊNESE:🗓

Apresenta: Teoria Moral Espírita 🕗

🇧🇷 🎥 com Carlos Alberto Braga

Publicado por: . | 23 julho, 2021

Esplendores de um novo dia – Dica do dia

🇧🇷 📺

TV GÊNESE 📡 APRESENTA: GÊNESE NO LAR – #GNL383

TEMA: ESPLENDORES DE UM NOVO DIA

📲 Apresentação: Carlos Alberto Braga Costa – 23/07/2021

Gênese no Lar, evento matinal, durante 35 episódios apresentou o XVIII Capítulo do Livro A Gênese – Milagres e Predições Segundo o Espiritismo. Foram momentos de estudos, orações, terapêuticas, e muita fraternidade. Este vídeo celebra o edifício construído pelo grupo de trabalhadores, pelo esforço, coragem, e determinação. A Nova Era nasceu com o Cristo, propondo a regeneração de toda a Humanidade. “Natal! Boa Nova! Boa Vontade! … Estendamos a simpatia para com todos e comecemos a viver realmente com Jesus, sob os esplendores de um novo dia”. Emmanuel Fonte: A Gênese – Capítulos, XVIII – item 35- Allan Kardec

Fonte Viva – Lição 180 – Emmanuel – F C Xavier

Natal

“Glória a Deus nas Alturas, paz na Terra e boa vontade para com os homens.” — (Lucas, 2.14)

As legiões angélicas, junto à Manjedoura, anunciando o Grande Renovador, não apresentaram qualquer palavra de violência.

Glória a Deus no Universo Divino. Paz na Terra. boa vontade para com os Homens.

O Pai Supremo, legando a nova era de segurança e tranquilidade ao mundo, não declarava o Embaixador Celeste investido de poderes para ferir ou destruir.

Nem castigo ao rico avarento.

Nem punição ao pobre desesperado.

Nem desprezo aos fracos.

Nem condenação aos pecadores.

Nem hostilidade para com o fariseu orgulhoso.

Nem anátema contra o gentio inconsciente.

Derramava-se o Tesouro Divino, pelas mãos de Jesus, para o serviço da boa vontade.

A justiça do “olho por olho e do dente por dente” encontrara, enfim, o Amor disposto à sublime renúncia até à cruz.

Homens e animais, assombrados ante a luz nascente na estrebaria, assinalaram júbilo inexprimível… Daquele inolvidável momento em diante a Terra se renovaria.

O algoz seria digno de piedade.

O inimigo converter-se-ia em irmão transviado.

O criminoso passaria à condição de doente.

Em Roma, o povo gradativamente extinguiria a matança nos circos.
Em Sídon, os escravos deixariam de ter os olhos vazados pela crueldade dos senhores.
Em Jerusalém, os enfermos não mais seriam relegados ao abandono nos vales de imundície.

Jesus trazia consigo a mensagem da verdadeira fraternidade e, revelando-a, transitou vitorioso, do berço de palha ao madeiro sanguinolento.

Irmão, que ouves no Natal os ecos suaves do cântico milagroso dos anjos, recorda que o Mestre veio até nós para que nos amemos uns aos outros.

Natal! Boa Nova! boa vontade!…

Estendamos a simpatia para com todos e comecemos a viver realmente com Jesus, sob os esplendores de um novo dia.

Emmanuel – psicografia de Francisco C Xaviver – Fonte viva 180

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias